Dança é Vida

Ricardo Rodrigues

 

Além de exercitar o corpo, a agilidade, coordenação motora e equilíbrio, a dança também exercita a mente, a atenção, a concentração e a memória. Ela ainda diminui o estresse e a ansiedade, além de melhorar a auto-estima, porque ajuda na percepção positiva do corpo.

Pesquisas científicas envolvendo dança e idosos comprovam as contribuições para a saúde física e mental, principalmente em relação à força, à agilidade, ao equilíbrio e à flexibilidade.

A dança ajuda a garantir a independência funcional do individuo por meio da manutenção de sua força muscular, sobretudo de sustentação, equilíbrio, potência aeróbica, movimentos corporais totais e mudanças no estilo de vida.

A dança ainda contribui para um envelhecimento melhor e com mais disposição, pois é uma atividade física completa.

Com essas atividades, são feitas adequações para que possam melhorar o ritmo, no impacto e, por vezes, no tipo de movimento, ajudando a ter um estilo de vida mais saudável.