Categoria Notícias

Fundação José Carlos da Rocha obtém inscrição no CMAS de três cidades

A Fundação José Carlos da Rocha obteve recentemente a formalização de sua inscrição no CMAS – Conselho Municipal da Assistência Social – de três municípios (Pindamonhangaba, São Luiz do Paraitinga e Lagoinha). Isto é uma grande vitória e fruto de uma luta constante da Fundação em prol de centenas de idosos amparados por ela.

Mais que isso, a inscrição é o reconhecimento formal dos conselhos assistenciais das cidades sobres os relevantes trabalhos exercidos pela Fundação José Carlos da Rocha.

Na prática, a inscrição no CMAS viabiliza receber doações de fundos municipais, doações de produtos arrecadados em campanha, e também de protocolar projetos para que tenham o apoio dos municípios. Os parabéns são para todos!

 

Cuidado e carinho com os idosos foi determinante para garantir as inscrições 

Com crescimento de 18% em 5 anos, número de idosos ultrapassa 30 milhões

De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua – Características dos Moradores e Domicílios, divulgada em abril de 2018, pelo IBGE, a população brasileira manteve a tendência de envelhecimento dos últimos anos e ganhou 4,8 milhões de idosos desde 2012, superando a marca dos 30,2 milhões em 2017,

Em 2012, a população com 60 anos ou mais era de 25,4 milhões. Os 4,8 milhões de novos idosos em cinco anos correspondem a um crescimento de 18% desse grupo etário, que tem se tornado cada vez mais representativo no Brasil. As mulheres são maioria nesse grupo, com 16,9 milhões (56% dos idosos), enquanto os homens idosos são 13,3 milhões (44% do grupo).

Segundo a gerente da PNAD Contínua, Maria Lúcia Vieira, essa tendência de envelhecimento tem ocorrido em todo o mundo nos últimos anos, não apenas no Brasil. “Ela decorre tanto do aumento da expectativa de vida pela melhoria nas condições de saúde quanto pela questão da taxa de fecundidade, pois o número médio de filhos por mulher vem caindo. Esse é um fenômeno mundial, não só no Brasil. Aqui demorou até mais que no resto do mundo para acontecer”, explica.

Entre 2012 e 2017, a quantidade de idosos cresceu em todas as unidades da federação, sendo os estados com maior proporção o Rio de Janeiro e o Rio Grande do Sul, ambas com 18,6% de suas populações dentro do grupo de 60 anos ou mais. O Amapá, por sua vez, é o estado com menor percentual de idosos, com apenas 7,2% da população.

Envelhecimento da população querer políticas públicas sociais adequadas

Grupo do ‘São Vicente de Paulo’ comemora Dia do Abraço

Um grupo de idosos do Lar São Vicente de Paulo, de Pindamonhangaba, participou de uma ação social em comemoração ao Dia do Abraço, no dia 22 de maio, na praça Monsenhor Marcondes, no centro da cidade.

(Matéria feita pela TV Record)

A iniciativa das professoras Letícia Godinho e Flávia do Amaral, da Fundação José Carlos da Rocha, teve objetivo conscientizar sobre a importância do abraço como gesto de carinho e afeto e valorizar a união entre as pessoas, sobretudo reconhecendo a importância do idoso na construção da sociedade.

Cerca de 20 vovôs e vovós caminharam pela praça com cartazes feitos por eles mesmos com mensagens sobre o Dia do Abraço. Dentre as frases estavam: “Quero um abraço”, “Abraço grátis”, “Preciso de um abraço” e também uma pergunta: “Tenho um abraço para de dar. Você quer que eu leve ou vem buscar?”.

Centenas de pessoas responderam ao chamado e deram abraços. Em retribuição, o grupo entregou lembrancinhas em formato de imã de geladeira feitas pelos próprios idosos – que eram desenhos de bonecos com frases sobre o abraço.

Sobre o Dia do Abraço

A data teria surgido a partir da iniciativa do australiano Juan Mann que criou a Free Hugs Campaign (Campanha de abraços grátis), em 22 de maio de 2004, com o simples objetivo de distribuir abraços pelas ruas de Sydney.

Em pouco tempo, a ideia se espalhou e hoje está consolidada em todo o mundo.

Dança garante alegria, aumenta força e equilíbrio

O Projeto de Dança, desenvolvido pelo professor Alexandre Botelho, da Fundação José Carlos da Rocha, tem proporcionado melhorias na vida de vovôs e vovós dos lares atendidos. Segundo o professor, a dança ajuda a garantir a independência funcional por meio da manutenção da sua força muscular, principalmente de sustentação, equilíbrio, potência aeróbica, movimentos corporais totais e mudanças do estilo de vida.

Confira algumas das fotos de atividades nos aplicadas nos lares Irmã Terezinha e São Vicente de Paulo, em Pindamonhangaba, onde os grupos estão demonstrando bastante animação.

 

 

Idosos poderão ter cotas em concursos públicos

Um projeto do senador Antônio Carlos Valadares (PSB-SE), que está tramitando na CCJ – Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania – poderá beneficiar milhares de idosos desempregados do país. Apesar de ser criticado por algumas instituições e de ter gerado discussões, o projeto é visto como uma forte ação social por grande parte da sociedade.

Pelo que está sendo proposto, pelo menos 5% das vagas de concursos públicos poderão ser destinadas a candidatos com mais de 60 anos, ressalvados os casos em que a natureza do cargo impedir essa cota.

O Estatuto do Idoso (Lei 10.741/03) já veda a fixação de limite máximo de idade como quesito para admissão em emprego público, ressalvadas as situações em que a natureza do cargo o exigir. O que o autor do projeto propõe é acrescentar nessa lei a reserva da cota para pessoa com mais de 60 anos, o que, segundo argumenta, beneficiará a sociedade “pela contribuição social e profissional que pessoas mais maduras e experientes podem oferecer”.

Valadares argumenta ainda que boa parte dos idosos são hoje chefes de família, com renda média, inclusive, superior aos lares chefiados por não idosos. Em sua argumentação, o senador cita estimativa indicando que, em 2020, 13% da população do país terá mais de 60 anos, o que representará um contingente em torno de 30 milhões de pessoas. Para o senador, garantir trabalho aos idosos é uma forma de preparar a sociedade para o crescimento desse segmento. “Não é admissível deslocar o problema para o futuro e não tomar medidas desde logo”, alerta.

Haverá restrições

O autor da proposta disse ter a preocupação de considerar aquelas situações em que o provimento do cargo ou emprego público é incompatível com o idoso, justamente em virtude da idade, como por exemplo, o concurso para policial que irá trabalhar diretamente na rua em perseguição aos bandidos ou a seleção para bombeiro. “Nesses casos, a Administração Pública, no sentido amplo, estará dispensada de reservar o percentual das suas vagas para ingresso por meio de concurso público, tal como já previsto no art. 27 do Estatuto do Idoso”, defende Valadares.

Para o relator da matéria na CCJ, senador Paulo Paim (PT-RS), os idosos têm muito a oferecer no serviço público. “O amadurecimento  e  a  experiência  de  vida  que  carregam trarão contribuições para a melhor formação dos servidores mais  jovens que com eles trabalhem”, apontou.

O projeto já foi aprovado na Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa. Se for aprovado na CCJ e não houver recurso para que seja votado em Plenário, seguirá para análise da Câmara dos Deputados. O tema tem sido debatido, mas ainda não há previsão para desfecho dentro da própria CCJ.

Festa reúne vovôs e vovós de nove lares no ‘Irmã Terezinha’

Uma festa de confraternização, organizada pela Fundação José Carlos Rocha, reuniu cerca de 250 idosos de nove lares da região dia 26 de abril de 2018, no Lar Irmã Terezinha, em Pindamonhangaba. Além de receber uma festa especial, os vovôs e vovós também participaram de diversas atrações.

Houve dança de salão com internos da Casa do Ancião Luiza de Marillac (Taubaté); leitura de poemas com os residentes do Lar Vicentino (Lagoinha); coral composto por um grupo do Lar São Vicente de Paulo (Pindamonhangaba); coreografia de zumba gold adaptada para vovós do Centro de Convivência Amélia Ozanam (Tremembé) e da Vila São Vicente de Paulo (São Luiz do Paraitinga).

Outra atração da festa foi a exposição de telas baseadas em obras do artista Romero Brito e pintadas por idosos dos lares São Vicente de Paulo e Irmã Terezinha (Pindamonhangaba) e Casa do Ancião Luiza de Marillac (Taubaté), bem como outras atividades envolvendo residentes dos nove lares participantes.

A música da festa foi comandada pelo cantor Anderson e pelo DJ Barata.

Relação de lares envolvidos:

Lar Irmã Terezinha e São Vicente de Paulo (Pindamonhangaba), Casa São Francisco de Idosos e Casa do Ancião Luiza de Marillac (Taubaté), Centro de Convivência Amélia Ozanam (Tremembé), Lar Fraterno da Acácia e Lar Frederico Ozanam (Jacareí), Lar Vicentino (Lagoinha), e Vila São Vicente de Paulo (São Luiz do Paraitinga).

 

 

Centenas de vovôs e vovós ganham ovos de Páscoa

A Fundação José Carlos da Rocha promoveu festas em diversos lares para a celebração da Páscoa de 2018, o que beneficiou mais de 500 vovôs e vovós.

No Lar São Vicente de Paulo (Pindamonhangaba) e na Casa do Ancião Luiza de Marillac (Taubaté) houve gincanas com os vovôs e vovós, música e interação com funcionários e voluntários, além da entrega de ovos de Páscoa.

No Lar Irmã Terezinha (Pindamonhangaba) teve a brincadeira ‘caça aos ovos’ com as vovós e vovôs e muita animação durante a entrega.

Na Vila São Vicente de Paulo (São Luiz do Paraitinga) foi realizada uma festa integrada entre os idosos do local, que receberam os internos do Lar Vicentino de Lagoinha (Lagoinha). A confraternização em conjunto contou com distribuição de ovos de Páscoa, gincanas e a festa de aniversariantes do mês.

No Centro de Convivência Amélia Ozanam (Tremembé) também aconteceu a entrega de ovos de Páscoa juntamente com a festa dos aniversariantes do mês.

Nos lares onde não foi realizada festa específica de Páscoa, a Fundação José Carlos da Rocha se mostrou presente com a entrega de ovos de Páscoa.

Eu Ainda Quero…

O projeto ‘Eu Ainda Quero’ tem realizado o sonho de vovôs e vovós. Por meio de uma lousa, os idosos escrevem o que desejam e os voluntários (pessoas físicas e jurídicas) trabalham para que a vontade expressada pelos idosos seja concretizada.

Há sonhos simples e outros mais complexos, no entanto, com força de vontade e ajuda de todos, muitos dos sonhos já foram atendidos. Apesar disso, ainda há muitos Vovôs e Vovós que precisam da sua ajuda.

Escolha um lar ou se simpatize por meio de uma foto e faça sua parte!

Festa de Natal encanta vovôs e vovós de 10 lares

A grande Festa de Natal promovida pela Fundação José Carlos da Rocha no ano de 2017 reuniu aproximadamente 200 vovôs e vovós dos 10 lares da RM Vale.

​O evento foi realizado graças à união de esforços de voluntários que abraçaram com carinho a causa dos idosos – desde o espaço até o buffet, decoração, estrutura de mesa e cadeiras, doces, bolo, tudo fruto de doações.

​A banda Confraria Musical executou canções variadas, sendo a maioria da época da juventude dos idosos. Além de música, dança e muita animação, ainda houve a presença do Papai Noel, que distribuiu alegria pelo salão do Marinelli Eventos.

Outro destaque da festa foi a realização do sonho de alguns idosos participantes da campanha “Eu Ainda Quero”, iniciativa da Fundação que visa à divulgação dos desejos dos vovôs e vovós pela internet em busca de voluntários para ajudarem a realizá-los.

De acordo com Cristiane Dias, da equipe da Fundação José Carlos da Rocha, a descontração é fundamental para o lado emocional dos vovôs e vovós. “É ótimo tirá-los do ambiente de lar e proporcionar uma grande diversão. Isso mexe de forma muito positiva com o aspecto psicológico de todos, especialmente em uma festa como essa, que oferece dezenas de opções de lazer e interação”.

A Fundação José Carlos da Rocha agradece imensamente a colaboração de todos os apoiadores.

‘Vovó’ Terezinha realiza sonho de conhecer Silvio Santos

O projeto ‘Eu Ainda Quero…’ tem realizado o sonho de centenas de vovôs e vovós. Nos últimos meses, o projeto ainda tem tocado o coração dos famosos. Primeiro foi o cantor Daniel, que se simpatizou com a vovó Celeste. Agora, a iniciativa da Fundação José Carlos da Rocha foi muito além.

A vovó Terezinha realizou seu grande sonho e conheceu o apresentador Silvio Santos. Ela manifestou seu sonho por meio do projeto ‘Eu Ainda Quero…’, quando também escreveu que queria participar do jogo ‘Roda Roda’.

Muito emocionada, Terezinha conversou com Silvio Santos e se divertiu nos bastidores do SBT – incluindo um ‘pate papo’ descontraído como o ajudante de palco, Roque.