Categoria Notícias

Projeto Eu Ainda Quero vai atender sonhos de idosos de Limeira

Os idosos do Asilo João Kühl Filho, de Limeira-SP, expressaram seus desejos na lousa do projeto Eu Ainda Quero no mês de agosto, e estão aguardando a realização dos sonhos.

Quem puder colaborar, deve entrar em contato diretamente com o lar, na rua Cap. Flamínio Ferreira, 489, Centro, ou falar com a assistente social Juliana pelo whatsapp (19) 99237-5470 ou pelos telefones (19) 3441-7414 e (19) 3441-7458.

Existem desejos variados, desde ganhar blusas, bermudas, rádios, chapéu, pijama, como também bíblia, panetone etc.

O projeto Eu Ainda Quero, da Fundação José Carlos da Rocha, tem realizado o sonho de centenas de idosos, desde 2016 – quando foi criado.

Por meio de uma lousa, os idosos escrevem o que desejam e os voluntários (pessoas físicas e jurídicas) trabalham para que a vontade expressada pelos idosos seja concretizada.
Há sonhos simples e outros mais complexos. No entanto, com força de vontade e ajuda de todos, muitos dos desejos dos idosos já foram atendidos. Confira na galeria e escolhe qual sonho você pode realizar.

Número de idosos cresce 40% entre 2012 e 2021, diz IBGE

Crédito de fotografia: Marcelo Camargo – Agência Brasil

O número de idosos no país aumentou quase 40% entre 2012 e 2021, de acordo com os dados da última Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua, divulgada pelo IBGE, nesta sexta-feira.

A parcela de pessoas com 60 anos ou mais foi estimada em 14,7% da população em 2021. Em 2012, era pouco mais de 11%. As pessoas de 65 anos ou mais atingiram 10,2% da população total. Já o número de brasileiros com menos de 30 anos caiu 5,4%, no período.

O IBGE ressaltou que alguns dados foram ajustados com base nas estimativas de população projetadas em 2018 e que, portanto, não incorporaram os efeitos da pandemia de covid-19, que registrou aumento dos óbitos na faixa etária mais idosa.

Segundo Gustavo Fontes, analista do IBGE, o Censo de 2022 pode trazer algum ajuste nesses resultados, mas a evolução do envelhecimento da população do país é uma tendência que deve se confirmar.

Outro resultado que chama a atenção na pesquisa é o recorte por raça/cor. Entre 2012 e 2021, houve um aumento de 32,4% das pessoas autodeclaradas pretas e de 10,8% para pardas, enquanto a população que se declarava de cor branca não apresentou variação relevante. A Região Nordeste registrou a principal expansão da participação das pessoas declaradas pretas e a região sul, para as de cor parda.

Gustavo Fontes, do IBGE, avalia alguns fatores que podem ter contribuído para o aumento da participação de negros na população do país.

A Pnad Contínua ainda mostrou aumento de moradias individuais. Em dez anos, a proporção de unidades domésticas com apenas um morador, passou de 12,2% para quase 15% do total. Os homens eram 56,6% das pessoas que moravam sozinhas. As regiões sul e sudeste tinham a maior parcela de moradores individuais.

A forma mais frequente de arranjo em domicílios continua sendo a de casais, com ou sem filhos, ou famílias chamadas monoparentais, mães ou pais com filhos.

A população total do país cresceu 7,6% e chegou a 212 milhões de habitantes em 2021.

Pintura de mandalas auxilia na saúde emocional de idosos de Jacareí

A palavra mandala significa círculo em sânscrito e é considerada como um símbolo de cura e espiritualidade. Essa figura foi utilizada em uma atividade de pintura com idosos residentes na Associação Humanitária Amor e Caridade e no Lar Frederico Ozanam, ambos em Jacareí.
Nas duas instituições, a atividade foi aplicada na primeira semana de agosto pela arteterapeuta Letícia Guimarães, da Fundação José Carlos da Rocha, para amenizar questões emocionais geradas pelo isolamento social diante da pandemia da Covid-19.
“No Lar Frederico Ozanam eles tinham ficado fechados por causa de novos casos de Covid-19, com isso estavam bem abalados e eu quis trabalhar as emoções deles. No Amor e Caridade, foi ao contrário. Eles abriram, mas muitos parentes não foram visitar e isso os afetou. De uma forma indireta, ordenamos estes sentimentos”, explicou a arteterapeuta.
Letícia contou que as mandalas pintadas pelos idosos foram utilizadas na decoração de ambientes dos lares. “As idosas falaram que ficou mais bonito e colorido. É esse o intuito mesmo”, definiu.

Bingo Amigo celebra Dia do Amigo em Taubaté

A realização de um bingo animou dezenas de idosos da Casa São Francisco, em Taubaté, dia 19 de julho – um dia antes do Dia do Amigo. Por esta razão, a iniciativa foi denominada Bingo dos Amigos. A ação, promovida pelo lar em parceria com a Fundação José Carlos da Rocha, contou o envolvimento de funcionários e colaboradores.

A arteterapeuta Letícia Godinho, da Fundação José Carlos da Rocha, explicou que a instituição doou prendas para o bingo. Dentre os itens, bolsinha, relógio, escova, garrafa, carteira, copo, porta retrato e outros acessórios – despertando bastante interesso nos idosos.

O bingo cantado por Letícia Godinho com apoio de Hannah Magnussen teve direito a tudo que é tradicional no jogo, como associação dos números a fatos históricos, datas comemorativas etc. “Brincamos com os números e, com isso, proporcionamos uma atmosfera bem parecida com os bingos que existem em festas, como dizer dois patinhos na lagoa para 22, ou idade de Cristo para 33. Foi muito divertido”, explicou Letícia.

De acordo com ela, os idosos aprovaram a iniciativa “porque o clima de jogo e diversão foi aliado às boas lembranças do passado, com amigos e familiares. O bingo é uma atividade muito prazerosa para pessoas de todas as idades e consegue oferecer a tensão de um jogo, a expectativa, ajuda na concentração e no controle da ansiedade”, completou Letícia.

Projeto Eu Ainda Quero vai atender sonhos de idosos de São Roque

Os idosos do Lar Mãe da Providência, de São Roque-SP, expressaram seus desejos na lousa do projeto ‘Eu Ainda Quero’ no mês de julho, e estão aguardando a realização dos sonhos.

Quem puder colaborar deve entrar em contato diretamente com o lar, na rodovia Engenheiro Renê Benedito Silva, 258, km 54, Volta Grande, São Roque, ou falar com a Maria Isabel pelos telefones (11) 95287-2653 ou (11) 4716-1919, ou ainda pelo e-mail: ablmaedaprovidencia@gmail.com.

Existem desejos variados, desde participar de programa de televisão a ganhar vestido, kit de maquiagem, celular, cinta modeladora, rádio etc.

O projeto ‘Eu Ainda Quero’, da Fundação José Carlos da Rocha, tem realizado o sonho de centenas de idosos, desde 2016 – quando foi criado.

Por meio de uma lousa, os idosos escrevem o que desejam e os voluntários (pessoas físicas e jurídicas) trabalham para que a vontade expressada pelos idosos seja concretizada.
Há sonhos simples e outros mais complexos. No entanto, com força de vontade e ajuda de todos, muitos dos desejos dos idosos já foram atendidos. Confira na galeria e escolhe qual sonho você pode realizar.

Dança é aliada na saúde do corpo e da mente para idosos de Taubaté

O comecinho da tarde das segundas e quartas-feiras têm uma animação especial para os vovôs e vovós da Casa do Ancião Luiza de Marillac, em Taubaté. São dias de aula do Projeto de Dança, oferecido pela Fundação José Carlos da Rocha.

Sob a orientação do professor Alexandre Botelho, os idosos exercitam corpo e mente durante cerca de uma hora. Nos movimentos de diversos ritmos musicais, eles trabalham os músculos, a sustentação do corpo, o equilíbrio e desenvolvem a potência aeróbica.

“Atenção, concentração e memória também são trabalhados na dança, que traz benefícios ainda na diminuição do estresse e da ansiedade, e melhorara da autoestima”, afirma Botelho.

O Projeto de Dança é um recurso importante para minorar os efeitos do envelhecimento e contribui para o desenvolvimento da autonomia e independência do idoso, para que se mantenha ativo e participativo socialmente.

Idosos de Jacareí celebram Dia dos Avós com troca de cartas com alunos do ensino infantil

Os idosos dos lares Frederico Ozanam e da Associação Humanitária Amor e Caridade, de Jacareí, passaram as duas semanas que antecederam o Dia dos Avós de uma forma muito especial.

Embora o Dia dos Avós seja comemorado dia 27 de julho, a arteterapeuta Letícia Guimaraes, da Fundação José Carlos da Rocha, iniciou uma atividade não convencional com os residentes dia 13 de julho. Isso para ser possível entregar cartas e produzir a resposta de cada uma delas até o Dia dos Avós.

Em parceira com alunos da escola infantil Clube do Mickey, de Pindamonhangaba, a profissional criou a troca de cartões entre estudantes e idosos – proporcionado uma forma diferente de celebrar a data.

“Os alunos fizeram desenhos e escrevem os seus nomes. Cada um para um idoso diferente – que recebeu o cartão e se emocionou”, declarou Letícia.

Ela explicou que “em resposta, os idosos também criaram cartões para os alunos, com desenhos e seus nomes e outros com pequenos poemas para os estudantes – dependendo da percepção, sentimento e capacidade de expressar emoções e criar frases de cada idoso”, completou.

De acordo com ela, a ação “foi muito importante porque um dos objetivos da arteterapia em idosos é potencializar os relacionamentos que eles ainda possuem. É uma forma de aumentar a autoestima, para que eles possam mostras às pessoas, à sociedade e para si mesmos que ainda possuem muita vitalidade e capacidade. E que por mais que existam limitações e impedimentos pela idade avançada, ainda têm muito a ensinar, a auxiliar e a ajudar a sociedade”.

Ainda segundo Letícia, “cada idoso pôde dar sua benção, mostrar seu amor e carinho com os alunos e, com isso, também se sentirem amados e importantes”.

Ela relatou que “os idosos que tinham dificuldade em escrever ou não sabiam, foram auxiliados, ajudados por ela e pessoas do lar, porém muitos idosos com capacidade, redigiram e criaram suas próprias cartas em resposta, com criatividade e amor para com os estudantes. Os idosos pediram para ver as fotos das crianças e escreveram a carta ou desenharam de acordo com o que veio no cartão dos alunos e também com o que sentiram quando viram as fotos. A maioria absoluta produziu suas cartas sem auxílio, expressando os sentimentos que vieram à sua imaginação. Foi um muito especial para todos”, finalizou.

Coral da Fundação José Carlos da Rocha faz ensaio com recorde de participantes

A professora Flávia do Amaral, da Fundação José Carlos da Rocha, responsável pelo coral com idosos no Lar São Vicente de Paulo, de Pindamonhangaba, informou que a cada aula o número de participantes aumenta.

Ela explicou que o coral foi retomado após cerca de dois anos sem atividade devido à pandemia. E desde o seu retorno, em abril deste ano, a quantidade de participantes têm crescido a cada aula.

De acordo com ela, o aumento do número de alunos é muito importante porque permite a diversificação de canções e estilos musicais, ampliando o catálogo do coral e oferendo opções para montar os conjuntos que vão cantar e se apresentar”.

Sobre o número de alunos, ela relatou que na aula do dia 25 de julho, foram 39 idosos – recorde do coral. “Ficamos muito felizes com a participação de todos. É um projeto muito importante para a Fundação José Carlos da Rocha e que traz vários benefícios aos idosos. Esse envolvimento e dedicação dos residentes vai propiciar muitos avanços em qualidade de vida para todos”, explicou Flávia.

Sobre a aula do dia 25, ela disse que o repertório incluiu sucessos de artistas consagrados da música brasileira e canções antigas que emocionam as pessoas. “Tivemos ensaio de ‘Trem das Onze’, ‘Como É grande o Meu Amor Por Você’, ‘Índia’, ‘Jardineira’, ‘Beijinho Doce’, ‘Luar do Sertão’. Percebemos que essas músicas, de enorme sucesso de Adoniram Barbosa, Roberto Carlos, Demônios da Garoa, Martinho da Vila, Orlando Silva dentre outros, despertam muitas alegrias nos idosos”.

Ainda de acordo com ela, com base “neste repertório inicial, serão desenvolvidos os próximos ensaios do coral”, declarou.

Idosos do Lar São Vicente de Paulo, em Pinda, se divertem na festa julina

A festa julina realizada no Lar São Vicente de Paulo dia 9 de julho foi uma das mais animadas deste ano.

Em um verdadeiro ritmo festivo, os idosos, funcionários do lar e prestadores de serviço da Fundação José Carlos da Rocha se divertiram com muitas brincadeira, se deliciaram com comidas típicas e ainda dançaram bastante, pois houve banda ao vivo, com direito a sanfona, violão, tambor e acordeom – deixando o lar no verdadeiro clima de festa julina.

Os prestadoras Alexandre Botelho e Letícia Godinho relataram que foi um dos locais com maior animação dos idosos, que se divertiram com as atividades propostas, principalmente brincadeiras, danças e o tão esperado casamento.

Os idosos ainda usaram roupas típicas, deixando o evento ainda mais animado.

Em Lorena, idosos da Vila Vicentina participam de festa julina

Os residentes da Vila Vicentina de Lorena, se divertiram com a festa julina da instituição e que contou com apoio da Fundação José Carlos da Rocha dia 1 de julho.

Houve muita interação entre os prestadores de serviço da Fundação José Carlos da Rocha com os idosos e também com a equipe do lar.

Pela Fundação, Flavia do Amaral e Breno Antunes Ribeiro animaram os idosos com diversas brincadeiras, dentre elas pescaria, boca de balão, quadrilha adaptada e ‘casamento’.

Naturalmente, ainda teve comidas típicas para todos os idosos, como cachorro quente, arroz doce, cuscuz paulista, canjica e outras delícias. Os idosos, os funcionários do lar e equipe da fundação, todos estavam devidamente no clima da festa, utilizando roupas e acessórios.