Categoria Notícias

Idosos de lares atendidos pela Fundação José Carlos da Rocha recebem 3º dose de vacina contra Covid-19

Os Idosos residentes nos lares atendidos diretamente pela Fundação José Carlos da Rocha estão aptos para receber a dose de vacina de reforço contra Covid-19 no mês de setembro de 2021.

Assim como ocorreu com a primeira e segunda dose, a terceira dose será levada por profissionais das prefeituras até os lares, para que os idosos não tenham que se deslocar até os lares.

Em Pindamonhangaba, por exemplo, a aplicação vai ocorrer no dia 13 no Lar Irmã Terezinha e no dia 14 no São Vicente de Paulo.

Embora a aplicação seja responsabilidade do município, os professores da Fundação José Carlos da Rocha têm atuação fundamental no processo, pois conversam com centenas de idosos para explicar a importância da vacinação para garantir a proteção contra o vírus.

Segundo os professores, vários idosos demonstraram receio e preocupações sobre a vacina. Na ocasião da primeira e segunda dose, por exemplo, a professora Nadia Melo relatou como conscientizou os idosos. “Nós explicamos para eles que os laboratórios responsáveis pelo produto são referências mundiais e que eles não deveriam dar ouvidos aos boatos criados por grupos que não acreditam na força do vírus ou na eficiência da vacina”.

Ela disse que as conversas para orientar os idosos aconteceram vários dias antes da aplicação das doses. “Assim que tivemos conhecimento de que as pessoas que viviam em lares deveriam ser imunizadas no primeiro grupo, já iniciamos nosso trabalho. Sentamos com os idosos, de um por um ou em grupo, deixando claro a importância do ato, para garantir a saúde deles e dos demais”, completou.

Idosos participam de atividades em celebração ao mês do folclore

Residentes de quatro lares atendidos diretamente pela Fundação José Carlos da Rocha participaram, ao longo do mês de agosto, de atividades em comemoração ao Dia do Folclore.

No dia 24 de agosto as professoras Rita de Cássia dos Santos e Letícia Godinho realizaram uma tarde de brincadeiras folclóricas no Lar São Vicente de Paulo, em Pindamonhangaba. Já no dia 31 de agosto, as atividades aconteceram no Lar Irmã Terezinha, na mesma cidade. As educadoras abordaram temas como lendas, comidas típicas, charadas, parlendas, trava língua, brincadeiras e cantigas de roda.

Nos lares Vicentino de Lagoinha e Vila São Vicente de Paulo (São Luiz do Paraitinga), Rita conjuntamente com o professor Breno Antunes desenvolveram iniciativas relacionadas à data comemorativa. Houve oficina de brinquedos, barangandão, pião, bola de gude, peteca, bilboquê de garrafa pet e também dança sentada.

De acordo com Rita, as atividades do folclore são enriquecedoras e desenvolvidas com muita alegria pelos idosos. “Já vivencio com os idosos há alguns anos e percebo o quanto ficam motivados, contando suas próprias histórias e aventuras de infância. O objetivo é promover ações que englobam lazer e cultura. Com atividades compatíveis com os idosos podemos interagir, socializar, valorizar sua história e o resgate cultural”, pontua a professora.

Comemorado no dia 22 de agosto, o Dia do Folclore foi criado com o objetivo de garantir a preservação do acervo que forma o folclore brasileiro. Além disso, busca incentivar os estudos na área. O folclore brasileiro é um importante objeto de estudo nas ciências humanas, e sua relevância é reforçada frequentemente nas ILPI´s (Instituições de Longa Permanência para Idosos) e escolas que trabalham com ensino infantil.

Idosos poderão ter gratuidade em passagens interestaduais

A Comissão de Direitos Humanos aprovou no fim de agosto o projeto (PL 2.311/2019) do senador Zequinha Marinho (PSC-PA) estabelecendo que os idosos terão direito à isenção ou desconto no preço das passagens para viagens interestaduais feitas em qualquer categoria de veículos de transporte. Se não houver recurso para votação em Plenário, a proposta seguirá para análise da Câmara dos Deputados.

Pelo Estatuto do Idoso (Lei 10.741, de 2003), hoje os idosos têm direito a passagens gratuitas ou descontos apenas nos veículos do tipo básico, com ou sem banheiros. Se não houver passagens disponíveis ou se não forem feitas viagens nesse tipo de veículo, os idosos têm que esperar até que elas sejam oferecidas pelas empresas.

Para Fabiano Contarato (Rede-ES), relator do PL, durante as discussões no Congresso o Estatuto do Idoso teve seu espírito reduzido. Ele argumenta que os idosos mais pobres serão beneficiados pelo “verdadeiro sentido da gratuidade do art. 40, que é generoso e inclusivo. A atual regulamentação condena à espera a pessoa idosa que precise viajar, quando não havia sido essa a intenção do Estatuto do Idoso”.

Zequinha Marinho também criticou a regulamentação. “Não podemos admitir que um regulamento altere a intenção inicial da lei, que é assegurar a todos os idosos, principalmente àqueles que não têm o mínimo de recursos materiais, a defesa dos seus direitos, da dignidade e do bem-estar. Assim, proponho aqui fixar o direito na própria lei, no caso, o Estatuto do Idoso, para prevenir possíveis alterações e garantir algo tão importante àqueles que muito já fizeram por toda a sociedade”, disse.

Fonte: Agência Senado

Os mais idosos na frente: comissão aprova prioridade escalonada em favor dos mais idosos

Crédito de fotografia: Marcelo Camargo – Agência Brasil

A Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa da Câmara dos Deputados aprovou em agosto o Projeto de Lei 6013/19, que altera o Estatuto do Idoso e a Lei do Atendimento Prioritário para escalonar o atendimento preferencial de acordo com a idade. Assim, pelo texto aprovado, salvo em casos de urgência ou emergência médica, os mais idosos serão atendidos antes dos menos idosos na seguinte ordem: centenários, nonagenários, octogenários, septuagenários e, por fim, sexagenários.

O projeto de lei, do Senado, foi aprovado por recomendação da relatora na comissão, deputada Flávia Morais (PDT-GO).

Sem distinção
Atualmente, a Lei 10.048/00 já assegura atendimento prioritário na administração pública a idosos (60 anos ou mais), mas não faz distinção entre eles. Também têm direito a atendimento prioritário, segundo a lei, pessoas com deficiência, gestantes, lactantes, pessoas com crianças de colo e pessoas com obesidade.

O texto vigente do Estatuto do Idoso, por sua vez, prevê, entre os idosos, prioridade especial aos maiores de 80 anos em relação aos demais.

Citando a justificativa da proposta, de autoria da senadora Simone Tebet (MDB-MS), Flávia Morais lembrou que a qualidade de vida dos idosos vem melhorando ao longo das décadas, e os idosos de hoje geralmente são física e mentalmente mais vigorosos do que os de 30, 40 ou 50 anos atrás.

“Resulta disso que não se pode tratar rigorosamente da mesma forma idosos com 60 anos e aqueles com idade muito avançada, dada a disparidade normalmente existente entre as condições de cada faixa etária”, afirmou a relatora.

Emenda
Flávia Morais apresentou uma emenda para fazer duas alterações no texto original. Primeiro, acrescentou a possibilidade de urgência médica entre as exceções que justificariam o atendimento prioritário de alguém menos idoso.

Além disso, a relatora propôs a retirada do termo “justificada” do texto, por entender que exigir documento que comprove a possível emergência ou urgência “implicaria, na prática, um passo burocrático a mais no atendimento de pacientes com quadros graves”.

Tramitação
O projeto tramita em caráter conclusivo e ainda será analisado pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Fonte: Agência Câmara de Notícias

Atividades práticas auxiliam na autonomia de idosos do Lar Vicentino de Lagoinha

Os idosos do Lar Vicentino, de Lagoinha, têm participado de atividades com cubo mágico para de estimular a concentração e melhoria das articulações. As dinâmicas são coordenadas pela professora Rita de Cássia dos Santos, da Fundação José Carlos da Rocha. Além do cubo mágico, Rita desenvolve técnicas de automassagem podal, com o intuito de aliviar a tensão dos pés e ativar a circulação sanguínea.

De acordo com ela, estas atividades foram desenvolvidas com objetivo de incentivar os idosos a praticarem mesmo na ausência do professor, dando autonomia para ocuparem as horas vagas. “O processo de envelhecimento é natural e fisiológico, e pode variar de pessoa para pessoa. No caso de idosos em Instituição de Longa Permanência é muito preocupante, pois algumas patologias são muito limitantes. Entretanto, sempre buscamos oferecer atividades adaptadas para contribuir com a melhora da qualidade de vida dos idosos”, destaca Rita.

O cubo mágico ajuda a aprimorar a leitura; desenvolver a interpretação; aumentar a autoestima; incentivar o interesse e a iniciativa; melhorar o raciocínio lógico e potencializar a concentração. Ainda fomenta a paciência, a atenção e a persistência. Isso porque para completar o jogo, o idoso deve permanecer trabalhando na mesma atividade por um longo tempo. Portanto, também exercita a concentração, já que é um dos elementos principais para poder completar o jogo.

Já a automassagem nos pés proporciona bem estar e relaxamento, uma vez que leva à liberação de toxinas do organismo, sendo utilizada para prevenir e tratar doenças e outras condições de saúde como insônia, estresse, problemas de circulação sanguínea, problemas hormonais, prisão de ventre, labirintite, cálculo renal, asma, hipertensão, enxaqueca, dores nas costas, e sinusite, por exemplo.

Idosos de Guaratinguetá praticam aulas de vôlei adaptado

Nos últimos meses a Fundação José Carlos da Rocha tem diversificado a proposta de atividades físicas realizadas nos lares. Os residentes da Casa Missionária São José, de Guaratinguetá, por exemplo, passaram a ter aulas de vôlei adaptado – estreando um campo montado no lar.
A aula foi aplicada pelo professor Thiago Frederic de Melo contou com algumas modificações para a participação do maior número possível de idosos.
O vôlei adaptado é uma variação do vôlei sentado e iniciou nos estados Unidos na década de 1950. Inicialmente era usado apenas por cadeirantes, que ficavam nas cadeiras de rodas e jogavam voleibol, podendo segurar as bolas com as mãos e passar. Futuramente, alguns cadeirantes passaram a jogar sentados no chão e não seguravam mais as bolas e sim passavam – como no vôlei tradicional.
Nas últimas duas décadas têm sido realizada uma nova variação da modalidade, com a inclusão de idosos jogado em pé, mas podendo segurar as bolas com as mãos, passar e arremessar.
O que foi realizado em Guaratinguetá foi uma fusão dos estilos de vôlei para pessoas com redução da mobilidade e a utilização de uma bola grande – facilitando o jogo para os idosos.
De acordo com o professor, a prática é importante sob o aspecto físico, pois atua em melhorias na mobilidade e coordenação m

otora, bem como melhorias cognitiva, com aumento da concentração, percepção e raciocínio.
Além disso, possibilita a interação entre os idosos em atividade divertida.

Tarde de jogos diverte idosos do ‘São Vicente de Paulo’

Os trabalhos realizados pelos professores Letícia Godinho e Breno Antunes Ribeiro, da Fundação José Carlos da Rocha, proporcionaram uma tarde de diversão com jogos aos residentes do Lar São Vicente de Paulo, em Pindamonhangaba.

As atividades reuniram cerca de 50 idosos, que participaram de jogos como dominó, quebra-cabeça, dama, cartas, jogo da memória com figuras e palavras, dentre outros.

Letícia explicou que parte das ações visava trabalhar a memória, a paciência e estimular o cérebro, com ações ligadas ao raciocínio e à lógica.

Ela ressaltou que outras brincadeiras, como ‘não deixe o ovo cair’ e ‘puxa batatinha’ proporcionaram melhorias físicas, como coordenação motora e flexibilidade dos movimentos.

“Mais importante que ganhar ou perder, foi a disposição de todos em participar e entender o espírito das brincadeiras, com objetivo em aproximar as pessoas, gerar mais empatia entre os residentes – que se divertiram o tempo todo”, explicou Letícia.

Além dela e de Breno, a tarde de jogos teve a presença de colaboradores do próprio lar, como a psicóloga Nayara Santos e a educadora física Flávia do Amaral, além de fotos produzidas por Hannah Magnussen.

Cursos gratuitos ensinam idosos a usar smartphones e tablets; inscrições começam dia 18

Iniciativa do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da Universidade de São Paulo (USP) o Curso A Distância em Duplas Tutor-Aluno: Práticas em Smartphones e Tablets para a Terceira Idade ensina idosos a usar dispositivos digitais. As aulas são direcionadas para quem tem pouca ou nenhuma experiência com os aparelhos e devem ser ministradas com a ajuda de um tutor, ou seja, alguém da família ou colega que possa auxiliar o idoso a entrar nas aulas e ficar junto durante o aprendizado.

As duplas devem ser formadas por um participante com no mínimo 60 anos (idoso) e um de idade mínima de 18 anos (tutor). Os dois devem possuir um smartphone do mesmo fabricante e com sistema Android versão 8.0 ou superior.

O objetivo do curso é familiarizar os idosos com o uso de smartphones e realizar práticas que apoiem os alunos a desenvolver competências e habilidades necessárias para o uso dos aparelhos. O curso, que é gratuito, será inteiramente remoto. As inscrições começam dia 18 e terminam no dia 20 de agosto e poderão ser feitas Aqui. As aulas serão dadas às quartas-feiras, das 19h às 21h, por meio de plataforma online a ser divulgada posteriormente. Serão oferecidas 60 vagas. As aulas começam dia 25 de agosto e acabam em 15 de dezembro.

Aulas práticas

Os alunos vão aprender práticas de interação por toque de modo integrado a aplicações básicas comuns aos dispositivos Android (telefone e lista de contatos, câmera e galeria de fotos), bem como para o desenvolvimento de habilidades e competências para domínio de configurações (tamanho de letra, configurações para hora de dormir, conexão com rede sem fio e rede de dados). Haverá prática de Aplicativos de comunicação: Google Meet, Whatsapp/Signal/Telegram e Instagram.

Também haverá prática de Aplicativos de Entretenimento: Google SearchGoogle PlayYouTube, Spotify, Jogos e Prática de Aplicativos de Serviços: iFoodUber Eats. Mais informações do curso aqui.

Já idoso que tem algum conhecimento e consegue usar sozinho o smartphone pode se inscrever no curso Práticas com Tablets e Celulares – Módulo Avançado – Curso a Distância. A meta é oferecer letramento digital ao público idoso com o ensino de configurações dos smartphones e de aplicativos que emergiram ou que tiveram seu uso disseminado durante o período de distanciamento social, como o iFoodSpotify e Zoom, entre outros.

As inscrições já estão abertas e podem ser feitas até o dia 15 de agosto aqui. Mais informações sobre o curso aqui. As aulas acontecem toda quarta-feira das 14h às 16h. O curso começa dia 1º de setembro e termina em 8 de dezembro, também de forma online.

Serão discutidos conceitos sobre dispositivos móveis: interação (toques, gestos), navegação e aplicações, e realizadas práticas com aplicações de interesse do público-alvo e que permitem, por exemplo, realizar chamadas telefônicas e enviar mensagens, criar e gerenciar contatos, alarmes, diários, fotos, música, vídeos, notícias, e-mail e jogos.

Prova de vida do INSS volta a ser obrigatória

Crédito: Marcelo Casall – Agência Brasil

Desde o início de agosto de 2021 a prova de vida para aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) que moram no Brasil voltou a ser obrigatória. A exigência estava suspensa desde maio de 2020 por causa da pandemia de covid-19 e não causava a suspensão do benefício. Com o retorno da obrigatoriedade, os aposentados e pensionistas que não realizarem a confirmação do cadastro terão o benefício suspenso.

A prova de vida é obrigatória para todos que recebem benefícios por meio de conta-corrente, poupança ou cartão magnético. De acordo com o INSS, cerca de 36 milhões de beneficiários devem realizar a prova de vida anualmente para continuar a receber. O procedimento serve para evitar fraudes e garante a manutenção do pagamento.

“É importante que os segurados que não fizeram a prova de vida, realizada uma vez por ano, façam o procedimento”, destacou o INSS.

Esses beneficiários selecionados para fazer a prova de vida por biometria facial e que ainda não realizaram o procedimento, devem fazê-lo pelo aplicativo Meu Gov.br ou Meu INSS, disponível para baixar na Play Store e na Apple Store. Após realizar a prova de vida por biometria facial, o segurado pode consultar o resultado pelo Meu INSS.

Os segurados aptos a realizar o procedimento online, serão informados por SMS no celular, ou ainda por e-mail, ou aplicativo Meu INSS. O instituto alerta que enviará o SMS somente pelo número 280-41, qualquer outra mensagem referente à prova de vida de outro número deve ser desconsiderada.

“O INSS identificou cerca de 160 mil beneficiários que deveriam ter feito a prova em fevereiro de 2020.  Esses beneficiários podem fazer o procedimento de forma remota nos aplicativos Meu INSS e Meu gov.br, evitando dessa forma o bloqueio de seus benefícios”.

Além dos aplicativos Meu Gov.br e Meu INSS, alguns bancos permitem que a prova de vida seja feita por meio de biometria, nos caixas eletrônicos ou nos seus próprios aplicativos.

Também é possível realizar a prova de vida normalmente em uma agência do banco em que recebe o benefício. Nesse caso, o segurado deverá levar um documento de identidade com foto. Esse documento pode ser o RG, a carteira de motorista ou a Carteira de Trabalho.

Para evitar aglomerações nas agências, o INSS elaborou um calendário. O cronograma começa em junho para quem deveria ter feito a prova de vida em março e abril de 2020. No mês seguinte, julho, para os beneficiários que deveriam ter feito a prova de vida em maio e junho. O calendário segue até dezembro com a prova de vida para quem deveria ter feito em março e abril de 2021.

Os beneficiários que têm dúvida sobre a realização da prova de vida ou dificuldade de locomoção podem buscar ainda atendimento pela Central 135 e agendar a visita de um servidor do INSS. A central funciona de segunda a sábado, das 7h às 22h.

Também é possível cadastrar uma pessoa como procuradora para realizar o exame. Essa opção, contudo, somente está disponível para os beneficiários que têm dificuldade de locomoção. O procedimento deve ser feito pelo aplicativo Meu INSS.O instituto informou ainda que para os beneficiários residentes no exterior, a “retomada do processo de bloqueio dos créditos, suspensão e cessação dos benefícios por falta de comprovação de vida” será divulgada em outra portaria.

 

Fonte: Agência Brasil

Dia dos avós e dia dos pais são comemorados com bingo em lares de Taubaté, Caçapava e Guaratinguetá

A concentração na espera para a próxima pedra que vai sair do globo. A expectativa se aquele número vai completar a quina para a conquista da aguardada prenda, e… Bingo!

A brincadeira que fez parte da infância e juventude da maioria dos idosos residentes na Casa do Ancião Luiza de Marillac, em Taubaté, e no Lar São Vicente de Paulo, em Caçapava, foi a atividade que levou alegria a eles em comemoração ao dia dos avós, celebrado dia 26 de julho.

Da mesma forma, houve celebração ao dia dos pais, na primeira semana de agosto, na Comunidade Missionária São José, de Guaratinguetá.

Entre as prendas estavam canecas, chocolates, produtos de higiene e beleza, que completavam a alegria dos vovôs e vovós, já satisfeitos pela diversão e distração proporcionadas pelo jogo de bingo.

“O bingo e uma brincadeira que ajuda na concentração, paciência, empatia com as amigas e muita diversão. Além disso, trabalha também a memória, pois tem que escutar e procurar o número”, afirmou a arte educadora da Fundação José Carlos da Rocha, Letícia Godinho.

O educador Breno Antunes Ribeiro, que também é da Fundação José Carlos da Rocha confirmou a aprovação dos idosos à atividade escolhida para celebrar o dia dos avós. “Foi bem divertido e lúdico. É uma atividade que os idosos gostam muito”, avaliou.