Categoria Notícias Relacionadas

INSS alerta idosos sobre fraudes em crédito consignado

O crédito consignado é um empréstimo feito por meio de convênio do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) com bancos. O aposentado ou pensionista não pode comprometer mais de 35% de sua renda. Para a contratação do crédito, é preciso apresentar documentos pessoais do aposentado ou pensionista na instituição financeira escolhida, incluindo os documentos de identidade ou CNH (Carteira Nacional de Habilitação) e CPF (Cadastro de Pessoa Física).

Além disso, é obrigatório que o contrato seja assinado pelo próprio segurado. “O empréstimo, de nenhuma maneira, pode ser concedido por telefone, sem o comparecimento do segurado ao banco ou financeira”, alerta o INSS.

O INSS orienta que, caso exista interesse na contratação do consignado, o segurado deve procurar bancos ou financeiras. “Vale destacar que o segurado nunca deve passar informações pessoais e de benefícios por telefone, pois este tipo de conduta pode facilitar a ação de criminosos e acarretar em fraudes no benefício”.

Para coibir fraudes contra aposentados e pensionistas, o INSS reforça que o beneficiário ou representante legal pode fazer o bloqueio ou desbloqueio do benefício para a contratação de empréstimos consignados ou até mesmo o cartão de crédito, por meio de sistema eletrônico. “Esse processo, por sua vez, precisará ser autenticado e o sistema deve ser disponibilizado pelas próprias instituições financeiras e sociedades de arredamento mercantil que mantenham Acordos de Cooperação técnica com o INSS”, explicou.

Denúncias

O segurado que for vítima de algum golpe ou detectar irregularidades nos descontos em folha deve cadastrar imediatamente sua manifestação na Ouvidoria do INSS por meio da Central de Teleatendimento 135 ou pelo portal (inss.gov.br). Em caso de perda, furto ou roubo, a pessoa deve fazer imediatamente um boletim de ocorrência, para se resguardar de eventuais fraudes no benefício.

“Vale destacar que as denúncias sobre consignado serão apuradas pela Ouvidoria e repassadas a Dataprev, para o bloqueio imediato do desconto ou contato com a instituição financeira para solução do problema e, se for o caso, devolução dos valores. Além disso, a partir do momento da detecção das fraudes, os envolvidos serão alvo de apuração por parte do Governo Federal”.

Os segurados também podem consultar o site Extrato de Empréstimos Consignados pela internet ou ter acesso a esse serviço em uma unidade do INSS. Assim, é possível conferir mensalmente se há irregularidades no benefício.

Por meio desse extrato é possível ao segurado conferir todo histórico de créditos consignados realizados com desconto no benefício previdenciário, além de outras informações como a margem da consignação atual, valores de parcela e prazo. O cadastro no Meu INSS é feito de três maneiras: pela internet, comparecendo a uma agência do INSS ou nos bancos autorizados. Até agora, mais de 20 milhões de usuários já se registraram no sistema, informou o órgão.

 

Fonte: Agência Brasil

Governo esclarece boato sobre prazo da Prova de Vida

Diferentemente do boato compartilhado em redes sociais, a Secretaria Especial de Previdência e Trabalho e o INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) informam que não houve alteração nas regras da chamada prova de vida.

A prova de vida é obrigatória para todos os beneficiários do INSS que recebem por conta corrente, conta poupança ou cartão magnético.

Para fazer a prova de vida, isto é, para comprovar que estão vivos, os segurados do INSS devem comparecer anualmente a uma agência do banco pagador do benefício.

As datas de comparecimento variam de banco para banco: existem bancos que utilizam a data do aniversário do beneficiário, outros que utilizam a data de aniversário do benefício e há também os bancos que convocam o beneficiário um mês antes de vencer o prazo da última prova de vida realizada.

O que fazer?

A Secretaria Especial de Previdência e Trabalho e o INSS alertam os segurados para que desconsiderem a data de 28 de fevereiro citada no referido boato, uma vez que esse prazo se refere a uma prorrogação ocorrida excepcionalmente no ano passado.

O objetivo desse prazo adicional foi atender aos segurados que não tinham feito a comprovação de vida no prazo original dado pelos bancos em 2017.

Como saber o prazo certo?

Os beneficiários do INSS devem consultar diretamente seu banco pagador para saber quando devem fazer a prova de vida. Vale destacar que esse procedimento tem que ser feito todo ano, junto ao banco, para não correr o risco de ter o pagamento suspenso por não ter feito a comprovação de vida.

Confira o calendário de pagamento do INSS de 2019

Os cerca de 34 milhões de aposentados e pensionistas do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) já podem conferir a data de depósito dos benefícios ao longo de todo o ano de 2019.

Como de costume, os depósitos seguirão a mesma sequência de anos anteriores.

A orientação do INSS é que os segurados fiquem atentos: a data de depósito dos proventos depende do número final do cartão de benefício, sem considerar o último dígito verificador, que aparece depois do traço.

O que faz um cuidador de idosos

 

O cuidador de idosos atua com cuidados médicos domiciliares do dia-a-dia e presta toda a assistência necessária nesse quesito, garantindo o bem-estar físico e mental. O cuidador pode ser responsável também pela higiene, alimentação, medicação, consultas médicas e lazer, apoiando em todas as rotinas do idoso. O profissional deve desempenhar seu papel de forma ética, empática e responsável.

Como é o mercado de trabalho para cuidador de idosos

O cuidador de idosos pode atuar em estabelecimentos para acolhimento e cuidados com idosos, clínicas de repouso, até residências. Há grande oferta de vagas de empregos para esse profissional, porém o perfil necessário para desempenhar essa atividade exige competências como comprometimento, responsabilidade, resiliência, senso de urgência e habilidade de trabalhar sob pressão. Além disso, a remuneração desse profissional também vária de acordo com a quantidade de horas semanais trabalhadas. Mas, no geral, os valores podem chegar até R$ 2.000,00 para profissionais que atuam em uma jornada de 44 horas semanais.

Salário de cuidador de idosos 2019

Salário de cuidador de idosos CBO 516210 em todos os estados e principais cidades do Brasil. Gráficos salariais completos num raio x dos salários pagos pelo mercado de trabalho com piso salarial, média salarial, teto salarial, quanto ganha um(a) cuidador de idosos, salário por faixa etária, média salarial por escolaridade e muito mais.

Um cuidador de idosos recebe em média R$ 1.214,27 no mercado de trabalho brasileiro para uma jornada de trabalho de 42 horas semanais de acordo com o Caged – Cadastro Geral de Empregados e Desempregados – do Governo Federal, em pesquisa do site salario.com.br no período de 04/2018 até 11/2018 com um total de 18.230 salários.

A faixa salarial do cuidador de idosos, segundo a CBO – Classificação Brasileira de Ocupações – fica entre R$ 998,00 e R$ 2.753,11, levando em conta o piso salarial e o teto salarial médio de profissionais contratados com carteira assinada em regime CLT a nível nacional.

A pesquisa de salários é atualizada mensalmente e fornece dados como média salarial, piso salarial, setores com os melhores salários, salários de acordo com o nível profissional, porte da empresa, escolaridade, faixa etária e muito mais pra você saber exatamente quanto ganha um cuidador de idosos segundo dados salariais oficiais informados pelas empresas ao Governo Federal.

 

Fonte: www.salario.com.br

Cartão de Idoso 2019: Como tirar a carteirinha?

O cartão do idoso foi desenvolvido com o propósito de auxiliar os usuários mais velhos no estacionamento. Com este tipo de autorização é possível estacionar o seu carro em locais permitidos.

Ao retirar o documento o cidadão pode inserir o seu carro em espaços com a legenda “Idoso”. Este documento é válido para os usuários que estão dirigindo ou então estão transportando.

Com sua via é fácil conduzir por vias e logradores e garantir sua vaga em locais públicos. O objetivo do cartão é trazer facilidade e servir para as vagas que são especializadas.

Através do cartão o cidadão pode dirigir o seu carro em shoppings, supermercados e bancos. Nas áreas que são denominadas Zona Azul, não garante a isenção de pagamento.

Condições para Cartão de Idoso 2019

O cartão de idoso 2019 é liberado para os seguintes usuários:

  • Idosos com idade ou superior a 60 anos;
  • Usuários que sejam condutoras ou passageiras de veículos automotores;
  • Pessoas residentes no município de São Paulo.

Como usar Cartão de Idoso 2019

Para utilizar o documento é preciso seguir algumas exigências. Estas regras facilitam e evitam qualquer problema. Para uso o cartão de idoso 2019 veja as indicações:

  • Apenas o original deve ser utilizado, não sendo permitida a utilização de cópias;
  • O Cartão não isenta o usuário do pagamento nas vagas sinalizadas em áreas de Zona Azul;
  • O Cartão pode ser plastificado para que seja conservado por mais tempo.
  • O Cartão também deve ser utilizado nas vagas sinalizadas em locais privados como shoppings, supermercados, bancos;
  • O cartão tem validade em todo o território nacional e poderá ser utilizado nas vagas sinalizadas com a inscrição “Idoso”;
  • O cartão terá validade de até cinco anos;
  • O titular poderá utilizar o Cartão em qualquer veículo, não importando quem é o proprietário ou quem está dirigindo;
  • Por questão de segurança, o nome do titular fica na parte de trás do cartão.

Pedido do Cartão de Idoso 2019

Para ter o seu documento é necessário seguir até os locais especializados. Deste modo é preciso seguir até o Detran ou nas prefeituras do município do solicitante.

Benefícios do INSS acima do salário mínimo terão reajuste de 3,43%

Os segurados da Previdência que recebem acima do salário mínimo terão seus benefícios reajustados em 3,43%, conforme o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC).

Crédito: Antonio Cruz/Agência Brasil

O índice foi oficializado por meio de portaria do Ministério da Economia, publicada dia 16 de janeiro no Diário Oficial da União (DOU). O reajuste é retroativo a 1º de janeiro de 2019.

O teto dos benefícios pagos pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) passa a ser de R$ 5.839,45 (antes era de R$ 5.645,80). As faixas de contribuição ao INSS (Instituto do Seguro Social) dos trabalhadores empregados, domésticos e trabalhadores avulsos também foram atualizadas.

O INSS informou que as alíquotas são de 8% para aqueles que ganham até R$ 1.751,81; de 9% para quem ganha entre R$ 1.751,82 e R$ 2.919,72; e de 11% para os que ganham entre R$ 2.919,73 e R$ 5.839,45. Essas alíquotas, relativas aos salários de janeiro, deverão ser recolhidas apenas em fevereiro, uma vez que, em janeiro, os segurados pagam a contribuição referente ao mês anterior.

Valores definidos

O piso previdenciário, valor mínimo dos benefícios do INSS (aposentadoria, auxílio-doença, pensão por morte) e das aposentadorias dos aeronautas, será de R$ 998,00. O piso é igual ao novo salário mínimo nacional, fixado em R$ 998 por mês em 2019.

Para aqueles que recebem a pensão especial devida às vítimas da síndrome da talidomida, o valor sobe para R$ 1.125,17, a partir de 1º de janeiro de 2019.

No auxílio-reclusão, benefício pago a dependentes de segurados presos em regime fechado ou semiaberto, o salário de contribuição terá como limite R$ 1.364,43.

O Benefício de Prestação Continuada da Lei Orgânica da Assistência Social – destinado a idosos e a pessoas com deficiência em situação de extrema pobreza -, a renda mensal vitalícia e as pensões especiais para dependentes das vítimas de hemodiálise da cidade de Caruaru (PE) também sobem para R$ 998,00. Já o benefício pago a seringueiros e a seus dependentes, com base na Lei nº 7.986/89, passa a valer R$ 1.996,00.

A cota do salário-família passa a ser de R$ 46,54 para o segurado com remuneração mensal não superior a R$ 907,77, e de R$ 32,80 para quem tem remuneração mensal superior a R$ 907,77 e inferior ou igual a R$ 1.364,43.

Fator de reajuste dos benefícios concedidos de acordo com as respectivas datas de início, aplicável a partir de janeiro de 2019.

 

Fator de reajuste dos benefícios concedidos de acordo com as respectivas datas de início, aplicável a partir de janeiro de 2019
DATA DE INÍCIO DO BENEFÍCIO REAJUSTE (%)
Até janeiro/2018 3,43
em fevereiro/2018 3,20
em março/2018 3,01
em abril/2018 2,94
em maio/2018 2,72
em junho/2018 2,28
em julho/2018 0,84
em agosto/2018 0,59
em setembro/2018 0,59
em outubro/2018 0,29
em novembro/2018 0,00
em dezembro/2018 0,14

Fonte: Secretaria de Previdência

Texto e edição: Agência Brasil

‘Inflação do idoso’ cresce e fica acima da taxa acumulada pelo IPC-BR

O Índice de Preços ao Consumidor da Terceira Idade (IPC-3i), que mede a variação da cesta de consumo de famílias majoritariamente compostas por indivíduos com mais de 60 anos de idade, registrou no quarto trimestre de 2018, variação de 0,80%. No ano, o IPC-3i acumula alta de 4,75%. Com este resultado, a variação do indicador ficou acima da taxa acumulada pelo IPC-BR, que foi de 4,32%, no mesmo período. Os dados foram apresentados dia 14 de janeiro de 209, no Rio de Janeiro, pela FGV/IBRE.

Na passagem do terceiro trimestre de 2018 para o quarto trimestre de 2018, a taxa do IPC-3i registrou acréscimo de 0,11 ponto percentual, passando de 0,69% para 0,80%. Três das oito classes de despesa componentes do índice registraram acréscimo em suas taxas de variação. A principal contribuição partiu do grupo Alimentação, cuja taxa passou de -1,57% para 3,49%. O item que mais influenciou o comportamento desta classe de despesa foi hortaliças e legumes, que variou 52,48%, no quarto trimestre, ante -31,93%, no anterior.

Contribuíram também para o acréscimo da taxa do IPC-3i os grupos Vestuário (-0,55% para 1,46%) e Educação, Leitura e Recreação (2,21% para 2,85%). Para cada uma destas classes de despesa, vale citar o comportamento dos itens: roupas (-1,01% para 1,73%) e passagem aérea (19,60% para 30,61%).

Em contrapartida, os grupos Habitação (1,74% para -0,89%), Transportes (0,73% para -0,20%), Saúde e Cuidados Pessoais (1,20% para 1,14%) e Despesas Diversas (0,66% para 0,31%) apresentaram decréscimo em suas taxas de variação. Os itens que mais contribuíram para estes movimentos foram: tarifa de eletricidade residencial (5,27% para -8,12%), gasolina (1,79% para -4,92%), medicamentos em geral (0,47% para 0,17%) e cigarros (2,63% para 0,04%).

O grupo Comunicação repetiu a taxa de variação de 0,22%, registrada na última apuração. As principais influências partiram dos itens: pacotes de telefonia fixa e internet (-0,18% para 1,26%), em sentido ascendente, e mensalidade para TV por assinatura (0,99% para 0,22%), em sentido descendente.

Idosos ativos conseguem permanecer saudáveis

As pessoas que entram na fase idosa, mantendo-se fisicamente ativas, conseguem permanecer saudáveis. Mas, pode ser difícil determinar que tipo de treino é melhor para corpos envelhecidos. Agora, dois estudos recentes analisam o impacto que o treinamento de endurance (incluindo exercícios aeróbicos como ciclismo e corrida) e o treinamento de resistência (como exercícios de levantamento de peso e fortalecimento muscular) podem ter na sua saúde à medida que você envelhece.

Os estudos sugerem que ambas as formas de exercício desempenham funções diferentes e cruciais, e que praticar uma combinação das duas pode ser o melhor para mantê-lo mais saudável à medida que você envelhece. O estudo, publicado recentemente na revista Medicine and Science in Sports and Exercise, descobriu que se você levantar pesos por menos de uma hora por semana, você pode reduzir o risco de problemas cardíacos ou derrame em 40 a 70%.

Para os adultos mais velhos, os benefícios do levantamento de peso e do fortalecimento muscular podem se estender além daqueles vinculados à saúde cardiovascular. O exercício resistido é especialmente importante para os idosos, não apenas por sua saúde cardiovascular, mas também por sua saúde óssea, função física, independência e qualidade de vida. Outro estudo foi publicado no mês passado no European Heart Journal. Este descobriu que era o treinamento de endurance, mas não o treinamento de resistência, que parecia ter os efeitos mais positivos sobre a desaceleração – e até mesmo o potencial de reversão – do envelhecimento celular.

À medida que a pessoa envelhece, seus telômeros encurtam de comprimento, um marcador para o processo de envelhecimento de uma célula. A enzima telomerase trabalha para combater esse processo de encurtamento e, quando ativada, pode realmente alongar os telômeros. No final do estudo, o comprimento dos telômeros aumentou substancialmente e a atividade da telomerase aumentou duas a três vezes mais naqueles que receberam treinamento de endurance e treinamento de alta intensidade versus exercícios de resistência.

O treinamento de endurance e não o treinamento de resistência pode afetar a função dos vasos sanguíneos de forma a ativar uma molécula vital chamada óxido nítrico. Esta molécula pode ajudar a proteger o sistema vascular, que pode regular os telômeros. No entanto, os resultados do estudo absolutamente não descartam o treinamento de resistência como inútil.

O aumento no aumento médio no consumo máximo de oxigênio como um indicador global de condicionamento e um marcador cardiovascular prognóstico foi comparável em todos os grupos de exercícios. Com relação à prevenção cardiovascular com foco no envelhecimento saudável, eles recomendariam – de acordo com as diretrizes atuais – um protocolo de treinamento baseado na resistência que envolve elementos de força.

 

Fonte: terra.com.br

Base: Estadão Conteúdo

Ministério dos Direitos Humanos premia escritores idosos

“Minha profissão? Pode colocar escritora”, diz Maria de Lourdes Prata, olhando para o neto para confirmar se o ofício que começou a exercer por prazer servia para responder à pergunta feita pela reportagem. O estudante de 22 anos Renato Garcia confirmou, e Maria de Lourdes cravou: “é escritora”. Conhecida como Lola Prata, ela é, aos 79 anos, a grande vencedora do 1º Prêmio Literário da Pessoa Idosa, do Ministério dos Direitos Humanos, com a crônica Maré Baixa.

Lançamento do 1º Prêmio Literário da Pessoa Idosa

O prêmio recebeu ao todo, 346 inscrições, das quais 272 atendiam aos requisitos solicitados. Entre elas, foram selecionadas pelo juri 25 crônicas, cinco por região do país, que foram publicadas em um livro. Os três primeiros lugares receberam respectivamente R$ 5 mil, R$ 3 mil e R$ 2 mil. O tema deste ano foi Memórias do Lugar onde eu vivo.

Lola inspirou-se na história da tia, Nair Prata, que já com a idade avançada, teve que deixar a própria casa no litoral para viver em São Paulo porque a família estava preocupada e decidiu que ela deveria ter companhia. “Submissa e confiante, abaixo a cabeça e obedeço. Na minha geração, as mulheres sempre obedecem: primeiro ao marido, e agora, na viuvez, aos filhos”, Lola descreve na crônica. O texto fala da dor do abandono do mar e do medo de não ser lembrada após a partida e fala sobre os desejos da tia não terem sido atendidos.

Para ela, ganhar o prêmio é uma grande realização. “Tudo ganha uma extensão maior e uma profundidade maior porque estou com quase 80 anos e ainda estou recebendo prêmios. Isso aumenta a autoestima e vejo que não estou invisível. Porque com a terceira e quarta idades a gente nem é notada”, diz e acrescenta: “É uma vaidade, mas é uma vaidade tão boa”.

Entre paz e alegria

A premiação ocorreu dia 21 de dezembro, em Brasília. Estiveram presentes participantes de todo o país. A artista plástica Dolores Castellões, 67 anos, que ficou entre os 25 selecionados para a publicação, teve o voo de Belo Horizonte a Brasília cancelado e teve que vir de ônibus com o marido. “Nosso voo era 11h30. A companhia aérea disponibilizou um ônibus para os passageiros. Falei com o meu marido, vamos encarar? Eu fiz uma cirurgia recentemente, mas mesmo assim queria estar presente. Chegamos no hotel 2h da manhã. Deu tudo certo”.

Dolores é autora da crônica Entre paz e alegria. Ela explica que nasceu em Juiz de Fora (MG) e mora em Pinhal (MG). “Eu tenho pouco tempo de cidade, moro lá há 12 anos, então decidi não falar das memórias da cidade. As memórias estão em mim, sou eu. Eu não falei da construção da memória de um lugar, falei da construção da memória de qualquer pessoa”, diz.

Acompanhada pelo marido, o eletrotécnico aposentado Flávio Castro, 71 anos, ela assegura: “Agora eu estou entre a alegria e a paz. Custei para chegar ai”.

Empoderamento

“O prêmio visa o empoderamento das pessoas, visa o protagonismo da pessoa idosa e é um estímulo à produção literária, mantendo sempre a atividade mental cognitiva funcionando. É o nosso objetivo, promover o envelhecimento ativo e saudável da nossa população”, diz o Secretário Nacional de Promoção e Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa, Rogério Luiz Barbosa.

Na abertura do evento, Barbosa ressaltou a importância da se saber ler e escrever e lembrou que o índice de analfabetismo entre a população idosa é quase o triplo do índice geral da população. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 7% da população é analfabeta, o que corresponde a 11,5 milhões de pessoas. Entre aqueles com 60 anos ou mais de idade, essa taxa chega a 19,3%.

 

Texto: Agência Brasil

Público idoso deve ter o maior crescimento nas compras de fim de ano pela internet

Apesar de o mundo online ser dominado pelos jovens, os mais velhos não ficam atrás quando o assunto é comprar na internet. Muito pelo contrário. A geração de consumidores acima dos 60 anos é a que deve apresentar o maior aumento nas compras online neste mês.

É o que aponta um levantamento realizado pela Rakuten Digital Commerce, ecossistema de soluções para o comércio eletrônico que atua com mais de 1.200 lojas virtuais no Brasil. Os internautas desta faixa etária devem ter um aumento de 23% no volume de pedidos transacionados em 2018, em comparação com o mesmo período do ano passado.

Em seguida, deverão se destacar os consumidores com idades entre 30 e 40 anos, com um aumento esperado de 22%. Já o terceiro maior crescimento de consumo online é esperado entre aqueles que se enquadram na faixa dos 20 aos 30 anos, com uma alta de 21%. “O pagamento do 13º salário influencia na predominância de consumidores mais velhos nas compras online para o Natal, assim como a tradição de presentear filhos e netos”, explica René Abe, CEO e Presidente da Rakuten Brasil.

Confira a tabela abaixo:

 

 

 

 

 

 

 

 

Ticket médio

ticket médio de forma geral deve ser de R$ 290,27, o que representa um aumento de 2,5% em relação ao ano passado. Porém, os consumidores das gerações mais velhas são os que menos vão economizar neste fim de ano: os dados revelam que as pessoas de 40 a 50 anos devem gastar em média R$ 355,06 – ou seja, 2% a mais que no fim de ano de 2017.

Em segundo lugar estão os compradores entre 50 e 60 anos, com expectativa de um ticket médio de R$ 344, seguidos dos maiores de 60 anos, que possuem um ticket médio de R$ 305. “Os jovens costumam comprar com maior frequência pela internet, mas com um ticket médio mais baixo, enquanto que os consumidores mais velhos escolhem produtos mais caros”, afirma o executivo.

 Confira a tabela abaixo:

 

 

 

 

 

 

 

 

Categorias

Considerando os segmentos nesta época do ano, Moda e Acessórios deve liderar como a categoria mais consumida por todas as gerações, exceto por aqueles com idades entre 40 e 50 anos que devem comprar preferencialmente itens do segmento de Livros, Músicas e Vídeos. Para a geração com menos de 20 anos, o segmento de Moda e Acessórios representa mais da metade do total das compras do período (51%).

Já o segmento de Eletrônicos e Informática deve estar no top 5 de todas as gerações, mas indica que fará mais sucesso entre os compradores com até 30 anos. Enquanto o segmento de Perfumes, Saúde e Beleza deve ser o favorito das gerações com mais de 60 anos.

Ao compararmos a performance das categorias em 2017 e a expectativa de crescimento para 2018, independente da geração dos consumidores, o segmento de Brinquedos e Bebês é o que deve apresentar o maior aumento, ano contra ano. Em seguida devem vir Móveis e Decoração, Alimentos e Bebidas, Moda e Acessórios e Perfume, Saúde e Beleza, nesta ordem.

 Confira a tabela abaixo:

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte da notícia: Redação E-Commerce Brasil (www.ecommercebrasil.com.br)