Categoria Notícias

Fundação José Carlos da Rocha assume vice-presidência do Conselho do Idoso

A Fundação José Carlos da Rocha foi indicada para assumir a vice-presidência do Conselho Municipal do Idoso de Pindamonhangaba em novembro de 2019. A escolha foi definida no fim de novembro, pela presidência atual da instituição, após vencer eleição.

Com a oficialização do convite à Fundação José Carlos da Rocha para compor a mesa do Conselho Municipal do Idoso de Pindamonhangaba, a instituição já iniciará seus trabalhos em mais uma frente em favor dos idosos do município.

 

Idosos movimentam 20% do consumo nacional, informa Sebrae

Crédito de fotografia: Roque de Sá Agência Senado

As pessoas com mais de 60 anos representam 20% do poder de consumo do Brasil. A informação é de Getúlio Vaz, representante do Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas).

Ele participou da audiência pública da Subcomissão Permanente de Proteção e Defesa da Pessoa Idosa. “Economia da Longevidade ou Economia Prateada, uma alusão aos cabelos grisalhos e brancos, gera mudanças fundamentais na economia dos países. Por já estarem aposentados em grande parte, não têm gastos que os mais novos têm”, disse.

A audiência faz parte do ciclo de debates sobre os efeitos do Estatuto da Pessoa idosa (Lei 10.741/2003). A iniciativa é do senador Eduardo Gomes (MDB-TO).

Segundo Getúlio Vaz, o mundo está envelhecendo. Alguns países já têm quase 30% de suas populações com pessoas idosas (acima de 60 anos). Nos Estados Unidos, estima-se em 25% o poder de consumo movimentado por pessoas com mais de 60 anos. O Japão possui 35,8 milhões de pessoas com mais de 65 anos. Isso corresponde a 35,3% de sua população. “Atualmente, verificamos que 17% dos novos empreendedores têm entre 55 e 64 anos de idade e 8% têm 65 anos ou mais. Enquanto os mais jovens declaram empreender seus negócios para conseguir independência financeira, os mais velhos declaram ter uma outra fonte de renda”.

Também participou da audiência um representante da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia, o fisioterapeuta Hudson Azevedo Pinheiro. Ele defendeu a valorização do Conselho Nacional da Pessoa Idosa, para a elaboração de políticas destinadas aos idosos.

“Temos de pensar em novas formas ou menor carga horária da jornada de trabalho de pessoas idosas que estejam trabalhando. É correto e devemos continuar a incentivar a atividade física e os centros de encontro e atividades. Vários idosos são os arrimos de suas famílias e a sua saúde e prolongamento de suas vidas é fundamental para suas famílias”.

O senador Eduardo Gomes disse que a reforma da Previdência foi benéfica para os aposentados, afirmando ocorrer agora um equilíbrio fiscal. As próximas audiências públicas estão programadas para novembro (Prevenção e Tratamento de Demências) e dezembro (Intergeracionalidade e a Promoção do Envelhecimento).

 

Fonte: Agência Senado

Aprovada reserva maior de imóveis para idosos em programas habitacionais

Crédito de fotografia: Pablo Valadares – Agência Câmara de Notícias

A Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa da Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei 103/15, que aumenta de 3% para 5% a reserva de unidades para idosos, em programas habitacionais públicos ou subsidiados com recursos públicos.

Apresentada pelo deputado Alceu Moreira (MDB-RS), a proposta altera o Estatuto do Idoso (Lei 10.741/03), que hoje já prevê a reserva pelo menos 3% das unidades habitacionais residenciais para o atendimento de idosos.

O parecer da relatora, deputada Leandre (PV-PR), foi favorável ao projeto. Ela cita dados do IBGE mostrando que a população idosa tende a crescer no Brasil: “Para 2030 e 2050, estima-se que o percentual da população com idade superior a 65 anos chegará a 13,54% e 21,87%, respectivamente. Em 2060, um quarto da população (25,5%) deverá ter mais de 65 anos.”

A parlamentar acrescentou que “a necessidade de implementar medidas para essa parcela da população se torna ainda mais relevante quando se constata a realidade de fragilidade e vulnerabilidade social em que vivem os idosos no Brasil”.

Tramitação
O projeto será analisada em caráter conclusivo pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania.

 

Fonte: Agência Câmara de Notícias

Fundação José Carlos da Rocha promove ação de gentileza no centro de Pinda

Um grupo de idosos do lar São Vicente de Paulo, de Pindamonhangaba, comemorou o Dia Mundial da Gentileza – 13 de novembro – com um ato na praça Monsenhor Marcondes – área central de Pindamonhangaba.

Para a iniciativa houve exibição de cartazes e entrega de flores e ‘lembrancinhas’ às pessoas que passearam pela praça. As flores e todo material de suporte foram confeccionados durante as aulas de arteterapia da professora Letícia Godinho, da Fundação José Carlos da Rocha.

A participação dos vovôs e vovós foi semelhante a que ocorreu no ano passado. “Na ocasião foi uma tarde muito especial para os idosos, que fizeram os cartazes e ‘distribuíram’ abraços paras as pessoas no centro. Eles gostaram muito e sempre nos pediam para fazermos mais atividades como aquela. Deste modo surgiu a ideia de repetirmos e mobilizarmos para o Dia Mundial da Gentileza”, explicou a professora Letícia Godinho.

A assistente social da Fundação José Carlos da Rocha, Simone Duarte, explicou que o contato com as pessoas gera grandes benefícios aos idosos, favorece a socialização e contribui na qualidade de vida.

Sobre o Dia da Gentizela

O Dia Mundial da Gentileza foi estabelecido com a abertura da “World Kindness Movement”, uma conferência realizada em Tóquio, no Japão, em 1997 para a promoção da gentileza no mundo.

O que é gentileza?

A gentileza é uma atitude que “faz com que o homem pareça exteriormente, como deveria ser interiormente” – disse Jean de La Bruyère, escritor e moralista francês, famoso por sua única obra ‘Personagens ou costumes do século’. Ou seja, ainda que por dentro o homem não tenha mais o espírito gentil (difícil nestes tempos de pressa e competição) demonstrar gentileza é um dever de pelo menos fingir que ainda mantemos nossa natureza colaborativa, de animais sociais que somos.

Gentileza tem a ver com carinho, atenção, cuidado, amor, respeito, educação, consideração, empatia…Tem relação com tanta coisa, todas boas pois absolutamente não há nada de mal em ser gentil, não se perde nada com a gentileza, ao contrário, se ganha: se contribui para a construção de um mundo mais amigável, mais acolhedor, menos preconceituoso, menos competitivo e cruel, mais compreensivo das diferenças e das dificuldades de cada um de nós.

Comissão aprova política nacional de apoio aos cuidadores informais de idosos

Crédito de fotografia: Luis Macedo / Câmara dos Deputados

A Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa aprovou o Projeto de Lei 6892/10, que cria uma política nacional de apoio ao cuidador informal e ao atendente pessoal não remunerados de pessoas em situação de dependência para o exercício de atividades da vida diária.

A proposta foi aprovada na forma de substitutivo apresentado pela relatora, deputada Carmen Zanotto (Cidadania-SC), que combina oito projetos atualmente apensados. A relatora rejeitou o texto original, do ex-deputado Roberto Santiago, que garante o benefício a idoso ou pessoa com deficiência em situação de vulnerabilidade financeira, e outros 17 que também tramitam em conjunto.

“É uma iniciativa importante para darmos o primeiro passo de uma política de cuidados que aborde e lide com esse novo risco social que o processo de envelhecimento da população impõe ao poder público e à própria sociedade”, afirmou Carmen Zanotto.

Ongs e empresas
Conforme o texto em tramitação na Câmara dos Deputados, as ações de apoio ao cuidador informal e ao atendente pessoal não remunerados serão coordenadas pelo poder público e poderão ser executadas com a participação de organizações sem fins lucrativos e de empresas privadas.

Entre os objetivos dessa política, destacam-se, entre outras, a orientação e apoio biopsicossocial para ações de autocuidado, melhoria da qualidade de vida e bem-estar; a capacitação, aperfeiçoamento e acompanhamento continuados; e o apoio comunitário para garantia de períodos regulares de descanso.

Mercado de trabalho
O texto prevê ainda a possibilidade de assistência financeira pelo poder público, forma de transferência monetária mensal isenta de Imposto de Renda ou então adicional monetário para custear medidas de inserção e reinserção no mercado formal de trabalho ou de desenvolvimento de atividades de geração de renda.

O substitutivo também altera as leis 8742/93 e 10741/03 para excluir do cálculo da renda familiar mensal per capita considerada para a concessão do Benefício de Prestação Continuada (BPC) quaisquer benefícios assistenciais no valor de um salário mínimo concedidos a membro do núcleo familiar.

Tramitação
O projeto tramita em caráter conclusivo e ainda será analisado pelas comissões de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência; de Seguridade Social e Família; de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

 

Fonte: Agência Câmara de Notícias

Fundação José Carlos da Rocha promove desfile com idosos

A Fundação José Carlos da Rocha encerrou as atividades de outubro (Mês do Idoso) com um desfile de modas para 21 residentes dos lares Vicentino, de Lagoinha, e da Vila São Vicente de Paulo, de São Luiz do Paraitinga. Antes do desfile, ocorrido na Pousada Araucária em São Luiz do Paraitinga, os vovôs e vovós também receberam todos os preparativos, como cabelo e maquiagem. Na passarela, um show de alegria com cada idoso. Com muita elegância e brilho nos olhos, um a um eles desfilaram e se divertiram.

A professora Rita de Cássia dos Santos contou que foi realizado um sorteio para escolher o Rei e a Rainha de cada lar, que receberam as faixas e dançaram valsa. Os idosos também tiveram um lanche e fizeram várias fotos.

Este foi o segundo desfile com membros de lares de Lagoinha e São Luiz do Paraitinga e Lagoinha promovido pela Fundação José Carlos da Rocha. Em setembro de 2016, eles estiveram na Cachoeira Grande em Lagoinha desfilando e realizando o sonho de algumas idosas. O objetivo do desfile é integrar idosos e promover atividades de lazer e m ambientes diferentes para ‘quebrar’ a rotina.

Educação aprova reserva de vagas ociosas para idosos em universidades

Crédito de fotografia: Michel Jesus Câmara dos Deputados

A Comissão de Educação da Câmara dos Deputados aprovou na quarta-feira (16) proposta que reserva aos idosos entre 5% e 20% das vagas não preenchidas em instituições de ensino superior. O texto aprovado modifica a lei do Programa Universidade para Todos (Prouni – 11.096/05) e a Lei de Cotas.

Relator no colegiado, o deputado Gastão Vieira (PROS-MA) recomendou a aprovação do projeto original (PL 9941/18) do Senado na forma adotada pela Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa da Câmara dos Deputados.

O projeto original modificava apenas a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, mas Vieira concordou com os argumentos da deputada Tereza Nelma (PSDB-AL), que preferiu incluir a alteração em outras duas normas. Vieira também entende que elas têm mais relação com o assunto tratado no projeto.

“Afigura-se coerente estabelecer na Lei do Prouni e na Lei de Cotas um percentual reservado às pessoas idosas que desejem acessar instituições de ensino superior”, observou Vieira.

Tramitação
A proposta tramita em caráter conclusivo e será ainda analisada pelas comissões de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

 

Agência Câmara Notícias

‘Casa São Francisco’, em Taubaté, recebe aulas de dança

Dezenas de vovôs e vovós da Casa São Francisco de Idosos de Taubaté participaram de atividades físicas com estudantes do ensino médio da Escola Jardim das Nações no início do mês de novembro.

De acordo com a professora Rita de Cássia dos Santos, da Fundação José Carlos da Rocha, foram aplicados exercícios de mobilidade, fortalecimento e aulas de dança para os estudantes em conjunto com os residentes do lar.

Segundo a professora, o objetivo é a interação social, a integração e a valorização humana por meio da dança. A iniciativa também faz parte dos ensaios para a apresentação na Festa de Natal da Fundação José Carlos da Rocha.

Empresas que contratarem idosos poderão receber incentivos fiscais

Os empregadores que contratarem funcionários com idade igual ou superior a 60 anos poderão ter incentivos fiscais com duração de cinco anos, se for aprovado um projeto em análise na Comissão de Assuntos Sociais (CAS).

De autoria do senador Chico Rodrigues (DEM-RR), o PL 4.890/2019 aguarda recebimento de emendas na comissão. O texto estabelece que a empresa poderá deduzir de sua contribuição à seguridade social (que é de 20% do total da remuneração paga, segundo a Lei 8.212, de 1991) até um salário mínimo para cada semestre de trabalho do funcionário com 60 anos ou mais. Além disso, o empregador poderá deduzir da base de cálculo da contribuição social sobre o lucro líquido as remunerações pagas a empregados nessa faixa etária.

Para Chico Rodrigues, a medida vai dar mais efetividade ao Estatuto do Idoso (Lei 10.741, de 2003), que, em seu artigo 28, traz o dever do Estado de desenvolver estímulos para a profissionalização de idosos, para a preparação dos trabalhadores à aposentadoria e para a contratação, por parte de empresas privadas, de pessoas com 60 anos ou mais.

“O trabalho permite que o idoso se integre mais com o mundo, favorecendo-lhe construir conhecimentos, desenvolver argumentos próprios para solução de problemas diários e, com isso, ter maior autonomia para planejar sua aposentadoria”, argumenta o senador.

População crescente

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil tem mais de 28 milhões de pessoas idosas (13% da população do país). Esse número deve dobrar nas próximas décadas, conforme levantamento de projeção da população divulgado pelo Instituto de Geografia e Estatística (IBGE) em 2018.

Ainda de acordo com o IBGE, a expectativa de vida dos brasileiros e brasileiras aumentou, em 2016, para 75,7 anos. Há mulheres levam vantagem sobre os homens nesse quesito, com expectativa de 79,31 anos, contra 72,18 deles.

O Ministério da Saúde destaca que esse crescimento representa “uma importante conquista social e resulta da melhoria nas condições de vida” no acesso a serviços médicos, desenvolvimento tecnológico na medicina, saneamento básico, entre outros.

Chico Rodrigues avalia que essa tendência reforça a necessidade de criação de incentivos para que os empregadores possam contratar, de maneira diferenciada, “pessoas idosas que ainda estão aptas para continuar no mercado de trabalho e prontas a oferecer sua contribuição da produção de bens e serviços para o crescimento do país”.

A proposta é oriunda do Projeto de Lei do Senado (PLS) 154/2017, apresentado pelo então senador Pedro Chaves e que foi arquivado ao final da legislatura, em 2018.

 

Fonte: Agência Senado

Gincana reúne grupo de idosos e estudantes de Pinda

Premiação da edição de 2018

A quinta edição da Gincana Intergerações entre idosos e alunos do ensino médio de Pindamonhangaba vai ocorrer dia 24 de outubro (quinta-feira). O evento, organizado em parceria pela Fundação José Carlos da Rocha, Lar São Vicente de Paulo e a Escola Estadual Ryoiti Yassuda, visa diversão e interação entre jovens e idosos, em clima de competição, e contará até com a entrega de medalhas, confeccionadas pelos próprios vovôs e vovós em aulas de arteterapia.

As provas devem contar com 60 pessoas, sendo 30 alunos e 30 residentes do lar. Para isso, serão propostas gincanas entre os adolescentes e os idosos, além de música, dança e uma confraternização no fim do evento. “Vamos formar várias equipes e desenvolver brincadeiras que possam ser executadas pelos jovens em parcerias com idosos”, disse a professora de arteterapia da Fundação José Carlos da Rocha, Letícia Godinho.

A programação começa às 14 horas com corrida das cadeiras, dança da cadeira e arremesso de bambolê, por exemplo. Entre todas as atividades programadas, a expectativa é que sejam concluídas por volta das 16 horas.

“É um trabalho multidisciplinar. Pensamos em atividades que possam ser realizadas por jovens e também por idosos, mesmo os cadeirantes, para termos a interação, a diversão e a inclusão. Iniciativas como essa são importantes para despertar nos adolescentes sentimentos de amor e de carinho pelos mais velhos e, sobretudo, para devolvermos a alegria e o sorriso aos idosos”, disse a professora Flávia do Amaral, uma das idealizadoras do projeto, ao lado de Letícia Godinho e Alexandre Botelho.

Além dos profissionais da Fundação José Carlos da Rocha, todo o evento vai contar com participação dos funcionários do Lar São Vicente de Paulo, incluindo psicóloga, o fisioterapeuta Tiago, a assistente social Sônia, bem como professores da escola ‘Ryoiti Yassuda’.