Categoria Destaque

Campanha arrecada fraldas para idosos

Centenas de idosos que vivem em lares precisam de fraldas. A campanha da Fundação José Carlos da Rocha visa aumentar o número de fraldas doadas aos lares para atender a necessidade dos vovôs e vovós. A quantidade de fraldas que um idoso usa por dia varia bastante, de acordo com o estado de saúde e com a idade de cada um. Em média, são três fraldas por dia.

Nos últimos meses, a Fundação José Carlos da Rocha tem comprado cerca de 8.000 fraldas por mês para dividir entre os 12 lares atendidos. Parece um número elevado, mas não é o suficiente se for considerado o volume médio de três fraldas por dia para cada idoso que precisa do item.

Devido à crise global causada pelo Covid-19, a Fundação José Carlos da Rocha também tem sentido os efeitos, pois não dispõe dos mesmos recursos financeiros de antes. Assim, os lares podem vir a receber menos fraldas.

Para não desamparar os vovôs e vovós, a Fundação José Carlos da Rocha precisa de sua ajuda.

Basta ler o QR Code e doar qualquer quantia para a compra de fraldas. Lembre-se que cada R$ 1,00 (um real) compra uma fralda. Faça sua parte e ajude neste momento tão difícil.
Quem quiser, também pode fazer doação clicando aqui.

Para agravar a situação dos idosos, os lares não estão recebendo visitas – o que gera um redução significativa no volume de doações de fraldas e outros itens de higiene.

Também por isso, é que a Campanha de Fraldas é fundamental para a saúde e bem-estar de centenas de idosos.

Colabore.

 

 

 

Professores postam fotos com filtro de Páscoa

A Fundação José Carlos da Rocha postou em sua página no Facebook fotos de seus professoras com filtro de Páscoa na semana que antecede a data. A ideia é deixar uma mensagem de otimismo e esperança, em especial neste momento de apreensão em virtude do Covid-19.

Além dos profissionais, crianças, filhos da professora Letícia, também participaram da iniciativa.

Nota Oficial: Suspensão das atividades em virtude da pandemia global do coronavírus

Em virtude da pandemia global do novo coronavírus (Covid-19), declarada pela OMS (Organização Mundial de Saúde) e em respeito absoluto às recomendações das autoridades sanitárias do Brasil, a Fundação José Carlos da Rocha suspendeu, por tempo indeterminado, suas atividades nos lares atendidos.

A decisão do Conselho da Fundação José Carlos da Rocha foi amplamente apoiada pelos lares que recebem projetos desenvolvidos pela instituição. Os atos administrativos, bem como a campanha de doação de fraldas, suporte financeiro e outras ações prosseguem normalmente em benefício dos idosos e lares.

A Fundação José Carlos da Rocha reitera sua missão de promover um estado de vida saudável ao idoso, planejando e executando programas de proteção à saúde e amparo aos que não têm recursos. Neste sentido, ela apoia a família e os lares no desenvolvimento de programas de proteção e qualidade de vida ao idoso, sempre respeitando o ser humano, e priorizando a dignidade dos idosos assistidos direta ou indiretamente.

Fundação José Carlos da Rocha promove Semana da Mulher

A Fundação José Carlos da Rocha promoveu uma surpresa em comemoração ao Dia Internacional das Mulheres (8 de março) para as residentes do Lar São Vicente de Paulo.

A iniciativa foi organizada pelas professoras Letícia Godinho e Flávia do Amaral, em parceria com o lar.

As professoras da Fundação José Carlos da Rocha realizaram a Semana da Mulher, com várias atividades para público feminino, com destaque para desfile de modas com as idosas. Para isso, uma a uma, elas foram produzindo as vovós, com cabelo e maquiagem, além do uso de acessórios e bijuterias.

De acordo com as professoras, a data despertou sentimento de alegria nas mulheres, e a lembrança por parte da Fundação José Carlos da Rocha e do lar as deixou ainda mais emocionadas.

Jogos de dominó estimulam memória de idosos de Guaratinguetá

Jogos de dominó estão sendo realizados com idosos residentes da Comunidade Missionária São José, em Guaratinguetá, para estimular a memória, por meio do projeto “Arte Experiente da Terceira Idade”, desenvolvido pela professora Letícia Godinho, da Fundação José Carlos da Rocha.
De acordo com a professora, a modalidade tem grande aceitação dos idosos e é um poderoso instrumento para estimular a mente. “Notamos um grande interesse dos vovôs e das vovós em participar, e o efeito é muito significativo”, afirmou.
O projeto consiste na aplicação da Arte Terapia, que é a utilização de linguagens artísticas, predominantemente plásticas, de símbolos, metáforas e de forma geral da criatividade em processos terapêuticos.
A Arte Terapia favorece, por meio da estimulação da expressão e do desenvolvimento da criatividade, a coordenação motora, a liberação de emoções, de conflitos internos, de imagens perturbadoras do inconsciente, o contato com ansiedades, conteúdos reprimidos, medos, processo de individuação e equilíbrio físico/mental/espiritual.

O projeto de Arte Terapia pretende, por meio da arte, favorecer a expressão das emoções, das vivências internas, das elaborações do pensamento, sem, porém, haver a intencionalidade de aprofundamento terapêutico em casos individuais.

Idosos produzem material especial para Dia das Mulheres

A Fundação José Carlos da Rocha está atuando em conjunto com a administração dos lares atendidos para a criação de eventos em comemoração ao Dia Internacional das Mulheres.

Até o momento, são atividades em três lares: Irmã Terezinha e São Vicente de Paulo (Pindamonhangaba) e na Casa São Francisco de Idosos (Taubaté).

Com base nisso, nas aulas de arteterapia da professora Letícia Godinho, por exemplo, os residentes produzem desenhos relacionados ao tema, como corações, flores, além de mensagens para formar um painel em homenagem às mulheres.

Segundo a professora, a ideia é envolver todos os idosos e aproveitar a temática para aprimorar a coordenação motora. “Por meio da criação, conseguimos estimular a atividade cerebral, melhorar as condições de movimentos finos das mães – que são essenciais para o dia a dia, e ainda aumentamos o interesse por ações sociais e festivas”, explicou.

A professora da Fundação José Carlos da Rocha afirmou que as aulas têm contribuído para despertar sentimentos positivos, principalmente nas vovós. “Estão produzindo os materiais com muito empenho e percebemos que as mulheres estão felizes com o ato. Para elas, a proximidade com o Dia Internacional das Mulheres gera expectativa positiva. Isso porque além de celebrar as conquistas das mulheres ao logo da história, o acontecimento marca uma data de carinho e atenção a todas as mulheres”, explicou Letícia Godinho.

Instituições ligadas ao SUS poderão ter atividades físicas para idosos

O Projeto de Lei 98/20 torna obrigatória a oferta de programa de atividades físicas para idosos nas unidades de longa permanência do SUS (Sistema Único de Saúde) ou instituições conveniadas. Segundo a Anvisa, as unidades de longa permanência são instituições governamentais ou não governamentais, de caráter residencial, destinadas a domicílio coletivo de pessoas com idade igual ou superior a 60 anos, com ou sem suporte familiar, em condição de liberdade, dignidade e cidadania.

Pela proposta, as atividades serão elaboradas por profissionais de educação física, especificamente para pessoas com mais de 60 anos, levando em consideração as aptidões físicas e o estado de saúde dos participantes. O texto estabelece que as atividades ocorram pela manhã.

Apesar de não ter vínculo com SUS, a Fundação José Carlos da Rocha oferece atividade física a idosos de instituições atendidas diretamente

O autor da proposta, deputado Felipe Carreras (PSB-PE), afirmou que cabe ao poder público a iniciativa de implementar programas de tratamento e prevenção da saúde da pessoa idosa, tanto nas unidades do SUS quanto nas unidades de longa permanência para idosos.

“A prática de atividade física especificamente pensada para o idoso e supervisionada por profissionais de educação física atua como forma de prevenção e reabilitação da saúde do idoso, fortalecendo a resistência, o equilíbrio, a flexibilidade e a força, minimizando os efeitos deletérios do envelhecimento e das doenças crônicas”, explica Carreras.

Tramitação
O projeto, que tramita em caráter conclusivo, será analisado pelas comissões de Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa; de Seguridade Social e Família; de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Fonte: Agência Câmara de Notícias

Vovós de Taubaté usam acessórios produzidos em aulas durante carnaval

A Fundação José Carlos da Rocha promoveu uma festa de carnaval para as idosas da Casa do Ancião Luiza de Marillac, em Taubaté. O evento agradou todas as residentes do lar, que se divertiram com a matinê proposta pelas professoras Flávia Amaral e Letícia Godinho.

De acordo com elas, o objetivo da Fundação José Carlos da Rocha foi levar animação e alegria às idosas. “Tivemos confraternização muito bonita com marchinhas carnavalescas, principalmente as antigas, distribuição de confete, serpentina, brincadeiras diversas, como trenzinho da alegria, canto de músicas e danças, além de sorvete, suco de frutas e docinhos”, resumiu Flávia do Amaral.

Letícia Godinho explicou que, assim como a diversão, o evento tem um objetivo técnico de melhoria na qualidade de vida das idosas. “Conseguimos utilizar conceitos ensinados em aula para as vovós, que estavam maquiadas, enfeitadas para o carnaval e com material, chapéus, máscaras e acessórios que elas mesmas confeccionaram. Isso ajuda a estimular o aprendizado e ainda contribui para a alegria de todas elas”, finalizou.

 

‘Eu Ainda Quero’ beneficia idosos de Jundiaí

Além dos lares atendidos diretamente pela Fundação José Carlos da Rocha, a instituição garante benefícios a outros lares e casas de idosos por meio do projeto ‘Eu Ainda Quero’, viabilizando o sonho dos vovôs e vovós.

Na última semana, o local beneficiado foi a Cidade Vicentina Frederico Ozanan, de Jundiaí-SP.

Uma equipe da Fundação José Carlos da Rocha, composta pela assistente social Simone Duarte e pela social media Hannah Magnussen, foi ao lar para registrar o sonhos de mais de 70 idosos. Na sequência, as fotos com as lousas e os sonhos foram publicadas no Facebook da Fundação José Carlos da Rocha – gerando grande adesão virtual, com mais de 800 curtidas, cerca de 150 comentários e quase mil compartilhamentos – ressaltando o grande impacto da campanha criada em 2016.

Quem quiser ajudar a realizar esses sonhos ou compartilhar a campanha, basta clicar no link do Facebook da Fundação José Carlos da Rocha e fazer sua parte.

Aos que são de Jundiaí e região, a Cidade Vicentina Frederico Ozanan fica na rua Augusto Trevisan, 121, bairro Parque do Colégio. Falar com Solange ou Márcia pelos telefones (11) 4523-3382 ou (11) 4523-3366.

 

Residentes de São Luiz fazem aulas de alongamento e aquecimento articular

Cerca de 20 idosos da Vila São Vicente de Paulo, em São Luiz do Paraitinga, estão participando das aulas de alongamento e de aquecimento articular, desenvolvidas pelo professor Ricardo Rodrigues, da Fundação José Carlos da Rocha.

O objetivo é fazer os idosos alongarem o corpo e, com isso, conseguirem mais mobilidade para a execução das tarefas do dia a dia. Isso porque os músculos tendem a atrofiar com o passar dos anos – reduzindo a capacidade de movimentação. Com alongamento, o corpo pode preservar as condições naturais dos músculos e mantê-los em boas condições por mais tempo.

Da mesma forma, segundo o professor, o aquecimento articular proporciona a elevação da temperatura corporal, especialmente das articulações, gerando vários benefícios para o corpo. Com a regularidade dos exercícios, é possível fortalecer as articulações e evitar leões e dores na execução dos movimentos.

Além dos movimentos somente com o corpo, o professor utiliza bolas grandes e pequenas para a aplicação dos exercícios. Ricardo Rodrigues disse que os idosos se demonstram animados e muito participativos durantes as aulas. Ainda de acordo com ele, novos exercícios e formas de aplicação devem ser usadas a partir dos próximos meses.