Categoria Destaque

Fundação José Carlos da Rocha aposta em aulas ao ar livre durante as manhãs de frio

A educadora Nadialice Melo, da Fundação José Carlos da Rocha, tem aproveitado as manhãs ensolaradas para realizar atividades ao ar livre com idoso do Lar Vicente de Paulo, de Caçapava.

Nadialice explicou que o frio dificulta a realização de atividades e exercícios, porém no período da manhã é possível levar os idosos para área externa. “Realizamos exercícios na área aberta do pátio, assim eles tomam sol, praticam a aula ao ar livre e se sentem melhores”.

A academia da melhor idade é um dos atrativos para os vovôs e vovós do lar. “Orientamos sobre a maneira correta de utilizar os aparelhos, para evitar lesões e desconforto. Temos um cuidado especial com os novos residentes, pois ainda não estão acostumados com exercícios”.

Ela relatou que a utilização de músicas alegres e divertidas também proporciona aulas mais divertidas no frio. “Usamos as canções para que eles se descontraiam e aproveitem melhor o tempo de exercício. Alguns se empolam e cantam, dançam, fazem brincadeiras”.

Outro ponto destacado pela professora Nadialice foi a melhora significativa no desenvolvimento das atividades pós pandemia. “Nos últimos dois anos a quantidade de aulas estava abaixo do ideal e as formas de exercícios também estavam limitadas. Hoje, com a retomada gradual dos serviços, percebemos uma evolução no desempenho dos idosos, bem como melhoras na autoestima e relações sociais”, avaliou.

Fundação José Carlos da Rocha celebra Dia das Mães com idosas da região

A Fundação José Carlos da Rocha está promovendo várias atividades em comemoração ao Dia das Mães nos lares da região atendidos diretamente pela instituição. (Confira as fotos no fim do texto)
Além de comemorar o dia das mães, a iniciativa visa valorizar as mulheres de uma forma geral. “Pensamos em promover atividades que despertem emoções e muita alegria para as mulheres. Nossa proposta tem ênfase não apenas nas mães, mas um dia especial para a mulher, pois elas têm um olhar especial para o ser humano. Mesmo as que não são mães, são mais acolhedoras, cuidam dos outros, ainda que não tenham gerado um filho. É assim a respeito das que ajudaram a cuidar de um irmão, sobrinho, afilhado, elas possuem um olhar maternal. Desta forma, estendemos nosso Dia das Mães a todas as mulheres”, explicou a administradora da Fundação José Carlos da rocha, Renata Linhares.
A coordenadora de projetos da instituição, Flávia do Amaral, disse que em alguns lares existe desfiles com as idosas, em outros música e bate papo, dança e café especial. “Independentemente da forma como produzimos a comemoração, usamos música do Roberto Carlos e entrega de rosas ao fim do evento, pois é um artista que muitas idosos gostam e desperta sentimentos positivos para elas”, completou.

Confira a programação

Quarta-feira, dia 4, das 8 às 10 horas, Lar Frederico Ozanam, Jacareí
Atividade: Desfile com as idosas e entrega de lembrancinhas (uma rosa)
Quarta-feira, dia 4, das 13 às 15 horas, Vila Vicentina, Lorena
Atividade: Desfile das idosas com entrega de lembrança e leitura de um poema em homenagem as mulheres
Quarta-feira, dia 4, das 13h30 às 15h30, Casa do Ancião Luiza de Marillac, em Taubaté
Atividade: Bate papo com música. Dança especial com cada idosa ao som de músicas que gerem boas memórias.
Quarta-feira, dia 4, das 15h30 às 17h30, Vila Vicentina da Sagrada Família, Lorena
Atividade: Roda de música com entrega da lembrancinha
Quinta-feira, dia 5, das 8 às 10 horas, Lar Vicente de Paulo, em Caçapava
Atividade: Café Especial com roda de viola e entrega de lembrancinhas (flor feita de toalha)
Sexta-feira, dia 6, das 9 às 12 horas, Lar Vicentino, em Lagoinha
Atividade: Desfile das idosas com entrega de lembrança e leitura de poema em homenagem às mulheres
Sexta-feira, dia 6, das 13 às 15 horas, Vila São Vicente de Paulo, São Luiz do Paraitinga
Atividade: Desfile das idosas com entrega de lembrança e leitura de um poema em homenagem às mulheres
Sexta-feira, dia 6, das 14 às 16h30, Lar São Vicente de Paulo, Pindamonhangaba
Atividade: Apresentação especial com café especial e entrega de lembrancinhas (almofadas de naninha)
Segunda-feira, dia 9, das 10 às 12 horas, Associação Humanitária Amor e Caridade, Jacareí
Atividade: Desfile das idosas com entrega de lembrancinhas
Segunda-feira, dia 9, das 9 às 11 horas, Centro de Convivência Amélia Ozanam, Tremembé
Atividade: Desfile das idosas com entrega de lembrancinhas

 

Boa Páscoa! Fundação José Carlos da Rocha entrega ovos e faz gincanas com idosos

A Fundação José Carlos da Rocha promoveu diversas atividades para celebrar a Páscoa 2022 para idosos dos lares atendidos.

O cronograma desenvolvido por profissionais da Fundação José Carlos da Rocha incluiu brincadeiras, exercícios e trabalhos que estimulam a memória, a coordenação motora, a interação e a criatividade dos vovôs e vovós.

Cada lar recebeu um tipo de proposta, de acordo com a aula do profissional atuante, e as condições físicas do grupo de idosos.

Em alguns houve, por exemplo, caça aos ovos, coelho sai da toca, amigos chocolates, brincadeiras e exercícios com os professores fantasiados de coelhos, além da entrega de ovos de Páscoa – momento mais esperado pelos idosos.

As propostas agradaram a todos, que se divertem com a iniciativa, celebrando a Páscoa com desenvolvimento de autonomia, integração, socialização, dentre outras melhorias na parte física e psicológica dos idosos.
Confira como foi a Páscoa em diversos lares:

Idosos de Pinda cantam em karaokê, recebem visita de cachorro e fazem exercícios físicos

Os idosos do lar São Vicente de Paulo, em Pindamonhangaba, estão recebendo diversas atividades da professora Nadialice Melo, da Fundação José Carlos da Rocha.

Entre os meses de março e abril, os residentes do lar participaram de um karaokê proposto pela professora, aulas de alongamento, mobilidade articular, jogos e ainda se animaram com a visita de um cachorro.

De acordo com Nadialice, para o karaokê, foram selecionadas músicas das décadas de 1950, 1960 e 1970, para despertar familiaridade e maior interesse nos idosos. “Eles cantaram e se divertiram muito. Fizemos gincanas com grupos e utilizamos a pontuação do karaokê para

simularmos uma competição”, explicou.

Além disso, a professora também aplicou exercícios de alongamento, mobilidade articular, fortalecimento muscular. “Utilizamos os ‘macarrões de piscina’ porque são maleáveis e leves, e por isso facilitam para execução de exercícios, sem riscos de lesão aos idosos. Com os objetos, vários exercícios foram aplicados, com uma dinâmica envolvente e divertida”, completou a professora.

Outra ação que aconteceu no lar foi a visita do cão Toni, que alegrou muito aos idosos. “Eles gostam muito de animais, principais cachorros. Eles lembram do tempo que eles tinham cães e gatos, lembram principalmente da infância, dos seus pais, irmãos. Por isso essa dinâmica de uma simples visita de um cão desperta um sentimento positivo nos

idosos”, avaliou Nadialice.

Bingo! Jogos despertam a mente e alegram idosos de São Luiz do Paraitinga e Lagoinha

Os professores Breno Ribeiro Antunes e Rita de Cássia dos Santos, da Fundação José Carlos da Rocha, desenvolveram vários jogos e atividades para os residentes da Vila São Vicente de Paulo, em São Luiz do Paraitinga, e do Lar Vicentino, em Lagoinha, durante e mês de março.
A principal proposta para o mês foram os jogos de bingo. Os idosos se divertiram com a proposta e adoraram jogar, além da entrega de prêmios para quem completou a cartela. De acordo com os professores, o bingo remete a sensações positivas e contribui para a interação social entre os residentes.
Ainda segundo Breno e Rita, o bingo estimula a leitura e o ditado, desenvolve capacidade associadas a operações matemáticas e auxilia a interação social.
Para publicações especializadas em idosos, como a página online Mais Vida, o principal benefício do bingo é que ele ajuda a combater as deficiências cognitivas, especialmente a perda de memória. Isso porque estimula o raciocínio lógico, a tomada de decisão, os reflexos e, claro, a própria memória.

 

Fundação José Carlos da Rocha retoma projeto de coral com idosos

A Fundação José Carlos da Rocha retomou o projeto de coral com idosos do Lar São Vicente de Paulo, em Pindamonhangaba, em março.
Coordenado pela professora Flávia do Amaral, o coral é formado por cerca de 25 residentes, que têm aulas de canto e ritmo uma vez por semana, normalmente às segundas-feiras.
Flávia disse que os idosos ficaram muito felizes ao saber do retorno do projeto. “Eles adoram cantar e manifestar seus sentimentos. Quando informamos que o coral seria reativado, todos os ex-participantes se mostraram dispostos e animados para a atividade, inclusive com ideias de músicas e ritmos para incluirmos nas aulas”.
A professora relatou que a maior parte das canções utilizadas são das décadas de 1950, 1960 e 1970. “Priorizamos músicas que eles ouviram durante a infância para reativar a memória e despertar bons sentimentos. Mas isso não impede que possamos abrir para materiais mais recentes. Fazemos a avaliação de todas as músicas indicadas”.
A administradora da Fundação José Carlos da Rocha, Renata Linhares, explicou que a retomada do coral é mais uma ação para melhoria na qualidade de vida dos idosos. “É um momento fundamental para expandirmos nossas atividades e propiciarmos cada vez mais ganhos para os idosos assistidos diretamente. Temos um mix de projetos desenvolvidos pela Fundação José Carlos da Rocha nos lares atendidos e constatamos que o conjunto dessas realizações trazem uma evolução contínua para os idosos em todos os aspectos”.
Renata lembrou que o coral já realizou diversas apresentações dentro do lar e até externas, principalmente em épocas como Natal, Páscoa, Semana do Idoso, Carnaval, dentre outras.

Lar de Pinda também celebra carnaval

Além de lares de Lagoinha e São Luiz do Paraitinga, a Fundação José Carlos do Rocha também promoveu atividades carnavalescas para residentes do lar São Vicente de Paulo (Pindamonhangaba).

Com o lar decorado e muita música, dezenas de idosos, cantaram e dançaram ao som de marchinhas carnavalescas, bem como participaram de brincadeiras propostas pelas professoras Letícia Godinho, Nadialice Melo e Flavia do Amaral.
Houve ainda a utilização de trajes típicos, adereços carnavalescos, dança de trenzinho, dança de rodas, área destinada a fotos e muitas outras atrações.

As professoras da Fundação José Carlos do Rocha explicaram que as atividades foram desenvolvidas de acordo com a aptidão de cada idoso.

 

Idosos de Lagoinha e São Luiz do Paraitinga participam de festas de carnaval

Um grupo de idosos dos lares Vicentino (Lagoinha) e Vila São Vicente de Paulo (São Luiz do Paraitinga), atendidos pela Fundação José Carlos da Rocha, se divertiram na última semana com atividades carnavalescas.

A ação fez parte das aulas dos professores Breno Ribeiro Antunes e Rita de Cássia dos Santos, da Fundação José Carlos da Rocha, que utilizam danças, marchinhas e músicas típicas, fantasias, jogos e atividades temáticas de carnaval e até desfiles para entreter os residentes dos lares.

De acordo com o educador, “o objetivo foi resgatar e ampliar as trocas culturais e vivências dos idosos, estimulando a socialização e remetendo às boas lembranças e às experiências vividas por eles durante carnavais do passado”.

O professor explicou que a proposta temática do carnaval foi uma “chance de animar o espirito dos lares e dos idosos, com uma prática alegre e de prazer, onde o corpo e, principalmente, a mente são exercitados através desse ambiente. Com isso, pudemos reforçar o vínculo de amizade entre eles e a alegria de passar por esse período, mesmo estando em isolamento, e ao mesmo tempo realizando uma atividade física”.

Para o mês de março, Breno e Rita pretendem realizar outros exercícios físicos para auxiliar na manutenção de características básicas do corpo, garantindo qualidade de vida e facilidades para as tarefas cotidianas.

Idosos de Pinda assistem ao filme Encanto e colorem personagens para aprimorar coordenação e aumentar concentração

 

A utilização de pintura e técnicas de pintura para colorir personagens do filme Encanto, produzido pela Disney e com três indicações ao Oscar 2022, tem feito parte das aulas de arteterapia proporcionadas pela Fundação José Carlos da Rocha no Lar São Vicente de Paulo, em Pindamonhangaba.

Na última semana, os residentes assistiram ao filme e agora estão aprimorando a coordenação motora fina, aumentando a concentração e utilizando a criatividade para colorir as personagens do longa-metragem.

De acordo com a arteterapeuta Letícia Godinho, a personagem preferida dos idosos é a principal da trama, Mirabel, seguida pelo seu tio Bruno e por seu primo Antônio.

Letícia explicou que que a riqueza de detalhes nas vestimentas e no cabelo de Mirabel tem sido o ponto de destaque entre os idosos.

“Entregamos o papel com o desenho, mas sem a cores, para eles colorirem. Alguns reproduzem próximo da realidade, o que demonstra atenção, memória e concentração. Outros utilizam outras cores, trabalhando também a criatividade e a manifestação das expressões artísticas”.

Ela explicou que o uso de técnicas de pintura auxilia nos processos terapêuticos dos idosos. “Isso favorece a expressão das emoções, das vivências internas, das elaborações do pensamento. A artererapia, neste caso, estimula a expressão e o desenvolvimento criativo, a coordenação, a liberação de emoções, de conflitos internos, o contato com ansiedades, além do equilíbrio físico, mental e espiritual”, completou Letícia.

Sobre o filme, a arteterapeuta disse que os idosos adoraram, pois remete à magia e à infância. “Todos gostaram muito das músicas e se emocionaram com a história do filme, sobre os dons de cada personagem, sobre as relações humanas, conflitos familiares e internos”, avaliou.

Alegroterapia e jogos estimulam coordenação motora e memória de idosos de Taubaté e São Luiz do Paraitinga

A aplicação do projeto Alegroterapia e Animação com Jogos desenvolvido pela enfermeira Bethânia Regina Rocha, da Fundação José Carlos da Rocha, têm contribuído para melhorias na coordenação motora, capacidade cognitiva, além de fortalecimento da convivência entre os idosos em Taubaté, na Casa do Ancião Luiza de Marillac, e em São Luiz do Paraitinga, no lar Vicente de Paulo.
Durante o mês de fevereiro, Bethânia tem usado jogos como dominó, quebra-cabeça, pescaria, bem como atividades de colagem. De acordo com a profissional, a aplicação dos jogos têm gerado estímulos positivos para os idosos, sobretudo em relação a melhorias na coordenação motora, bem como aumento na capacidade de concentração. “Percebemos uma evolução contínua na realização das atividades e no comportamento dos residentes, que se interagem com mais facilidade e sempre mais aptos para o que é proposto”, explicou.
Bethânia ressaltou que em cada lar as ações são variadas, dependendo das condições de cada idoso. “Para a aplicação dos jogos, realizamos entrevistas individuais, para identificar as limitações e fazer o diagnóstico de cada um. Com base na análise prévia, outras atividades são elaboradas de acordo com a condição do idoso”, concluiu.