Categoria Destaque

Julho é dedicado à pintura e à criatividade em três lares

mês de julho tem sido de intensa dedicação a trabalhos que envolvem desenhos. Em três dos lares atendidos diretamente pela Fundação José Carlos da Rocha, a professora Letícia Godinho, responsável pelo projeto ‘Arte Experiente da Terceira Idade, está aplicando técnicas para desenhar, recortar e colar imagens com os vovôs e vovós. 

Na Casa São Francisco de Idosos, de Taubaté, os idosos fazem desenhos e depois escolhem a continuidade com duas opções, sendo elas pintar ou buscar imagens em revistas e publicações que possam preencher as lacunas de acordo com as cores necessárias para formar perfeitamente a imagem criada. 

Com isso, a professora da Fundação José Carlos da Rocha consegue fazer com que os idosos usem a criatividade e aprimorem a coordenação motora. 

Já na Casa do Ancião Luiza de Marillac, em Taubaté, e no Lar São Vicente de Paulo, em Pindamonhangaba, as atividades são um pouco diferentes. Nestes locais, Letícia optou por entregar folhas de papel no formato A4 com um coração projetado em meio a um mosaico. Neste material contém diversas palavras com significado de grande importância para o ser humano, como paz, perdão, respeito, sinceridade, dentre outros. 

Assim, os idosos pintaram os corações e todo o mosaico com as cores em que acreditavam ser as mais adequadas. 

De acordo com a professora, além de estimular o cérebro e os aspectos motores, as palavras que formavam o coração ainda desperta a reflexão sobre viver em sociedade ou em um próprio lar. 

Vovôs e vovós de Jacareí visitam Aquário de Ubatuba

Um grande grupo de vovôs e vovós dos lares Frederico Ozanam e Associação Humanitária Amor e Caridade, de Jacareí, visitaram o Aquário de Ubatuba no mês de junho. Os idosos estavam acompanhados por funcionários e voluntários dos lares e por professores da Fundação José Carlos da Rocha, responsável ainda por obter os ônibus para a condução.

Todos adoraram ver as espécies, absorver conhecimentos e serem sensibilizadas sobre a importância da conservação do meio ambiente marinho e da riqueza de sua biodiversidade. Os vovôs e vovós aprenderam sobre detalhes da história de cada animal, principalmente tartarugas, pingüins, água viva, tubarões, peixes raros dentre outros.

Fundado em 1996 por um grupo de oceanólogos, o Aquário de Ubatuba é referência no país para estudo de espécies marítimas de pequeno e médio porte que vivem no Trópico de Capricórnio, contendo 19 recintos e mais de 350 animais e cerca de 100 espécies diferentes. O aquário, que foi o primeiro do Brasil aberto à visitação pública, tem como objetivo a educação e a pesquisa voltadas à conservação do meio ambiente, sendo pioneiro em diversas áreas.

De acordo com o oceanólogo Hugo Gallo Neto, fundador e diretor-executivo do aquário, “a educação ambiental é prioridade, permitindo que os visitantes, ao mesmo tempo em que se descontraem em um passeio, aprendam e passem a valorizar e respeitar nossa biodiversidade aquática e marinha”.

Desta forma, o idealizador acredita contribuir, por meio da educação ambiental e do trabalho prático, para o conhecimento, valorização e consequente conservação dos ambientes costeiros e de água doce do país.

Zumba gold é destaque entre vovós do ‘Amélia Ozanam’

As vovós do Centro de Convivência Amélia Ozanam, em Tremembé, estão aproveitando as aulas de zumba gold da professora Vivian Puppio Mantovani, da Fundação José Carlos da Rocha.

O programa zumba gold foi criado especialmente para pessoas da terceira idade, no entanto mantém a essência da zumba tradicional, propondo atividades físicas com coreografias.

De acordo com a professora um dos pontos positivos do programa é que embora existam algumas modificações, como a diminuição no impacto das articulações e coreografias mais simples, ele consegue manter animação da aula tradicional.

“Desse modo, a aula não se torna nem um pouco vagarosa e, mesmo tendo os ritmos iguais da zumba, ela não pressiona a coluna, o quadril e as articulações de maneira geral. A proposta é realizar movimentos que transfiram peso sem que haja impacto, trabalhando a região abdominal que estabiliza o corpo e focando na amplitude de movimento, coordenação motora e equilíbrio”, explicou Vivian.

Ainda segundo ela, a proposta com ritmos mais lentos e fáceis de serem executados também pode ser aplicada em pessoas mais jovens que tenham mobilidade reduzida ou indicação para evitar impacto nas articulações.

Para a aula com as idosas do Centro de Convivência Amélia Ozanam, Vivian tem apostado nos ritmos da Bossa Nova, ou seja, com músicas mais lentas e que ainda trazem lembranças positivas às vovós.

Coral de vovôs e vovós abre semana e enfrentamento à violência contra idoso

Pelo segundo ano consecutivo, o coral desenvolvido pela Fundação José Carlos da Rocha com residentes do Lar São Vicente de Paulo vai participar da abertura da Semana de Enfrentamento à Violência Contra o Idoso de Pindamonhangaba.

A apresentação do grupo vai ocorrer dia 8 de junho (sábado), às 9 horas, na Praça Monsenhor Marcondes. O coral, que faz parte do projeto Viva Bem, é desenvolvido pela professora Flávia do Amaral e estará apto para cantar até cinco canções da Música Popular Brasileira, além de músicas ligadas à festa junina. “Uma ideia é aproveitar a época, de festa junina, e cantar Asa Branca e outras canções ligadas o tema. Mas, além disso, eles estão aptos a dezenas de outros sucessos da Música Popular Brasileira”, disse.

Segundo ela, são quase dois anos de trabalho neste projeto. “Fizemos várias apresentações desde o início do coral dos idosos em espaços abertos e fechados. Os vovôs e vovós gostam bastante e estão ansiosos para mais este evento”, explicou a professora.

Além do coral, membros da Fundação José Carlos da Rocha também vão destacar a importância das ações voltadas para amparo, proteção e cuidados com os idosos.

 

“Dando Voz aos Avós”: Idosos disputam concurso musical em Jacareí

Idosos de lares de Jacareí, Taubaté e Pindamonhangaba vão participar do 1º Concurso Musical “Dando Voz aos Avós”, dia 18 (sábado) de maio, a partir das 15 horas, na Sala Mario Lago (rua Barão de Jacareí, nº 122, Jacareí-SP).
A iniciativa é do Grupo Vô na Vó em parceria com Fundação José Carlos da Rocha e conta com o apoio da Fundação Cultural de Jacareí e dos lares participantes.
O concurso terá representantes de seis lares: Associação Humanitária Amor e Caridade, Fraterno da Acácia e Frederico Ozanam (Jacareí), Casa São Francisco de Idosos (Taubaté), Irmã Terezinha e São Vicente de Paulo (Pindamonhangaba). O Lar São Vicente é o que possuiu o Coral da Fundação José Carlos da Rocha, projeto desenvolvido pela professora Flávia do Amaral.
De acordo com a organização, serão 12 competidores (dois de cada lar) que vão cantar músicas variadas. “Cada um escolheu e vem ensaiando sua canção. Teremos MPB, samba, bolero, sertanejo e outros estilos. Durante o evento ainda haverá músicos para acompanhar as apresentações com teclado, violão e percussão”, explicou Waldir Capucci – um dos idealizadores.
Os três primeiros colocados vão receber troféu e os demais serão classificados na quarta posição. Todos vão ganhar medalhas.
A professora Flávia do Amaral (Fundação José Carlos da Rocha), explicou que iniciativas como esta contribuem significativamente para o progresso da autoestima dos idosos. “Eles ficam muito felizes com estes eventos e festas porque é uma oportunidade de encontrar amigos de outros lares e se divertir. Especialmente quando o tema tratado é música, nós percebemos que eles ficam ainda mais entusiasmados e isso reflete positivamente nas atividades do cotidiano”.

Homenagens às mães no Lar São Vicente de Paulo

As idosas residentes no Lar São Vicente de Paulo, em Pindamonhangaba, receberam homenagens pelo Dia das Mães na primeira semana de maio. A iniciativa foi promovida pela Fundação José Carlos da Rocha em parceira com o lar e com a Academia Performance.

O evento contou com a entrega de lembrancinhas confeccionadas pelos homens do Lar São Vicente de Paulo durante as aulas de arteterapia com a professora Letícia Godinho, apresentações de dança e recital de poema com o senhor Julio.

Todas as mulheres ficaram emocionadas com a homenagem e relembraram da época em que tiveram e criaram seus filhos.

Fundação recorda 100 anos do falecimento de José Carlos da Rocha

A Fundação José Carlos da Rocha promoveu uma grande festa no Lar Irmã Terezinha, em Pindamonhangaba, dia 17 de abril de 2019 – data em que se recordou o aniversário de 100 anos da morte do coronel ‘José Carlos da Rocha’. O evento reuniu cerca de 250 idosos de 12 dos 13 lares assistidos diretamente pela instituição.

O evento ainda contou música ao vivo, com a dupla Bruno e Yago que tocou diversos sucessos da Música Popular Brasileira, apresentação de dança sênior, dança de salão, homenagens e outras atividades.

Houve também a participação de voluntários e apoiadores, que doaram comida, decoração e outros elementos necessários para a celebração. A confraternização ainda contou com o barman André Guizão servindo drinks não alcoólicos, coquetel de frutas e outras bebidas.

O momento mais marcante da festa foi a exposição e entrega de um quadro com a foto do coronel José Carlos da Rocha. Parte de sua história também foi recordada aos idosos que são beneficiados diretamente pela instituição que leva seu nome e tanto faz pelos internos dos lares.

Projeto de lei garante isenção de taxas para idosos em viagens interestaduais

Crédito de fotografia: Prefeitura de Dourados

Idosos que fazem viagens interestaduais de ônibus gratuitamente podem ter o benefício ampliado. O senador Confúcio Moura (MDB-RO) apresentou, em abril, um PL (Projeto de Lei) que estende a gratuidade das viagens às tarifas de pedágio e de utilização de terminais, como as taxas de embarque. O PL 1.892/2019 está na CDH (Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa) e aguarda distribuição a um relator.

Atualmente, o Estatuto do Idoso garante duas vagas gratuitas por veículo para idosos com renda igual ou inferior a dois salários-mínimos (R$ 1.996,00). Quando essas vagas já estiverem ocupadas, os idosos têm direito a desconto de 50%, no mínimo, no valor das passagens. O benefício é assegurado a idosos com mais de 60 anos e que tenham a Carteira do Idoso, emitida pelo governo federal.

O senador observa que a gratuidade já é prevista em lei, mas não é obedecida. “Os idosos têm o seu direito tolhido ou limitado quando precisam arcar com custos adicionais, como tarifas de embarque e pedágios. [Esta] proposição busca eliminar a interpretação equivocada de que a gratuidade no sistema de transporte coletivo interestadual para os idosos não abarca custos outros que não o do próprio bilhete de passagem”, argumenta Confúcio.

Em 2018 foram registradas 1.199 reclamações de idosos que não conseguiram utilizar os direitos previstos em lei, segundo a ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres). Uma média de três reclamações por dia. Do total, 1.101 alegaram que não conseguiram usar o desconto de 100%, enquanto os outros 98 não obtiveram o desconto mínimo de 50% em viagens de longa distância.

 

Fonte: Agência Senado

Vovôs e vovós de Pindamonhangaba e de Taubaté se divertem na praia

Aproximadamente 30 idosos dos lares São Vicente de Paulo, de Pindamonhangaba, e da Casa do Ancião Luiza de Marillac, de Taubaté, fizeram um passeio conjunto para a praia no início de abril.

O local escolhido pela Fundação José Carlos da Rocha foi a Praia dos Trabalhadores, em São Sebastião, pois têm estrutura adequada e adaptada para receber. “Fomos à Praia dos Trabalhadores porque existe o programa Praia Acessível – que dispõe de cadeiras adaptadas para pessoas com deficiência e com mobilidade reduzida – o que é ideal para uma parte do grupo de idosos que levamos ao passeio”, explicou a professora Flávia do Amaral.

Durante o trajeto, os idosos participaram de atividades de interação dentro do ônibus. Assim que chegaram à praia, eles entraram no mar e se divertiram com muitas brincadeiras na areia – tudo monitorado pelas professoras Flávia do Amaral e Letícia Godinho da Fundação José Carlos da Rocha e membros dos lares, além do maestro voluntário João e do fotógrafo Eduardo.

Durante o trajeto de ida e volta eles se alimentaram com lanches e na praia ainda tiveram sorvete, bebidas e churrasco – organizado pela Fundação José Carlos da Rocha com auxílio dos lares e de voluntários.

A iniciativa também contou com apoio da Prefeitura de Pindamonhangaba, que cedeu um micro ônibus, e da empresa Pássaro Marrom, que liberou um ônibus.

Antes, em 2017, a Fundação José Carlos da Rocha já havia levado 44 vovôs e vovós da Associação Humanitária Amor e Caridade, de Jacareí, para um passeio na Praia dos Trabalhadores.

Idosos de Taubaté celebram Dia Mundial da Água

Em comemoração ao Dia Mundial da Água (22 de março), o projeto “Arte Experiente da Terceira Idade”, desenvolvido pela professora Letícia Godinho, da Fundação José Carlos da Rocha, fez diversos trabalhos sobre o tema com um grupo da Casa São Francisco de Idosos de Taubaté, durante o mês de março

De acordo com a professora, houve aplicação na técnica de arte terapia, com a utilização de linguagens artísticas, predominantemente plásticas, de símbolos, metáforas e de forma geral da criatividade em processos terapêuticos com base na água para celebrar a data e alertar sobre os riscos que a população deve ter para que este bem precioso não venha a faltar.

Letícia Godinho explicou sobre os mananciais hídricos, o processo de extração e tratamento de água, distribuição, envolvendo também os resíduos, por meio de esgoto, o sistema de coleta e tratamento antes da devolução aos rios e outros itens relacionados ao tema. A economia e a utilização correta da água também foram debatidas com os internos do lar.

Como parte das atividades, eles fizeram cartazes em comemoração à Semana da Água, pintaram quadros, desenharam e recortaram figuras, dentre outras ações, que ajudaram função cerebral e de coordenação motora.