Categoria Destaque

Acompanhe e realize os sonhos do projeto Eu Ainda Quero Delivery

Em virtude da pandemia por Covid-19, a Fundação José Carlos da Rocha adaptou diversas atividades. Um dos projetos que recebeu modificações foi o Eu Ainda Quero. Para esse ano, em vez de postar as fotos nas redes sociais (Facebook e Instagram) para as pessoas observarem o desejo dos idosos e irem ao lar para a realização pessoalmente, conhecendo o idoso e conversando, o interessado leva o produto pretendido pelo idoso até a portaria do lar e a instituição é quem faz a entrega.

Deste modo, é possível evitar o contato de uma pessoa com idoso, reduzindo o risco de contaminação por Covid-19.

Confira fotos do Eu Ainda Quero Delivery clicando em cima do nome dos lares: Lar Frederico Ozanam (Jacareí), Lar Vicentino (Lagoinha) e Lar de Idosos São Vicente de Paulo (Caçapava).

Outros lares que terão os sonhos dos idosos publicados nos próximos dias são:

Casa São Francisco de Idosos (Taubaté)
Casa do Ancião Luiza de Marillac (Taubaté)
Centro de Convivência Amélia Ozanam (Tremembé)
Associação Humanitária Amor e Caridade (Jacareí)
Lar São Vicente de Paulo (Pindamonhangaba)
Vila Vicentina Sagrada Família (Lorena)
Vila Vicentina (Lorena)
Vila São Vicente de Paulo (São Luiz do Paraitinga)
Comunidade Missonária São José (Guaratinguetá)
Samaritano São Francisco de Assis (São Paulo)
Lar Ondina Lobo (São Paulo)

Fundação José Carlos da Rocha arrecada fraldas para idosos

Centenas de idosos que vivem em lares precisam de fraldas. A campanha da Fundação José Carlos da Rocha visa aumentar o número de fraldas doadas aos lares para atender a necessidade dos vovôs e vovós. A quantidade de fraldas que um idoso usa por dia varia de acordo com o estado de saúde e com a idade de cada um. Em média, são três fraldas por dia.

Para não desamparar os vovôs e vovós, a Fundação José Carlos da Rocha precisa de sua ajuda.

Basta ler o QR Code e doar qualquer quantia para a compra de fraldas. Lembre-se que cada R$ 1,00 (um real) compra uma fralda. Faça sua parte e ajude neste momento tão difícil.
Quem quiser, também pode fazer doação clicando aqui.

Para agravar a situação dos idosos, os lares não estão recebendo visitas – o que gera uma redução significativa no volume de doações de fraldas e outros itens de higiene.

Também por isso, é que a Campanha de Fraldas é fundamental para a saúde e bem-estar de centenas de idosos.

Colabore.

Idosos de Taubaté, Caçapava e Lagoinha fazem atividade de equilíbrio, concentração e força

Idosos dos lares Casa do Ancião Luiza de Marillac (Taubaté), Vicentino (Lagoinha) e São Vicente de Paulo (Caçapava) participaram de atividades com lençol e bola durante o mês de outubro de 2021 em aulas do professor Breno Antunes Ribeiro, da Fundação José Carlos da Rocha.

O trabalho com bola e lençol ajuda a aumentar a força física, o equilíbrio e a concentração, pois a bola se movimenta sobre o lençol e os idosos têm que mover o acessório para manter a bola estabilizada. “Além disso, outros aspectos são trabalhados, como interação social e atuação em equipe. Utilizamos a prática do exercício físico como ferramenta para o desenvolvimento motor de maneira lúdica e divertida para proporcionar prazer aos idosos”, explicou o professor.

A iniciativa faz parte do projeto Vivendo e Aprendendo, que promove exercícios físicos para auxiliar na manutenção de características básicas do corpo e tem função transformadora, especialmente para os idosos. “Temos como base o desenvolvimento de atividades planejadas que envolvem as capacidades físicas dos idosos, mas respeitando suas limitações”, completou.

Entre os três lares, cerca de 40 idosos foram beneficiados com os exercícios.

 

Fundação José Carlos da Rocha promove ‘Jogos da Primavera’ com idosos da região

Em comemoração à Semana do Idoso, a Fundação José Carlos da Rocha está promovendo a 1º edição dos Jogos da Primavera, em diversos lares de idosos da região do Vale do Paraíba.

O evento reúne jogos e gincanas dentro da capacidade motora dos idosos. As competições são dentro das atividades que costumam realizar dentro dos lares, como boliche, chute a gol, lançamento de argola, bola ao cesto, caminhada e até dança.

Os professores da Fundação José Carlos da Rocha têm liberdade para acrescentar novos jogos. “Cada profissional aplica um projeto dentro dos lares no dia a dia, utilizando determinados jogos, brincadeiras e exercícios. Eles conhecem a capacidade de cada idoso e sabem quais atividades podem acrescentar ou remover”, explicou a coordenadora da instituição, Renata Linhares.

O professor Breno Ribeiro Antunes disse que a intenção era realizar o projeto simultaneamente com as Olimpíadas, mas por questão de cronograma de todos os lares não foi possível. “A dinâmica envolve abertura, apresentação dos atletas, das equipes, têm jurados, regras. Tudo muito bem aplicado para que os idosos se sintam disputando uma competição”.

Nesta terça-feira (dia 28), a Fundação José Carlos da Rocha realizou o evento na Casa do Ancião Luiza de Marillac, em Taubaté, e no Lar de Idosos Vicente de Paulo, em Caçapava.

Na quarta-feira (dia 29), os Jogos da Primavera acontecem no Lar São Vicente de Paulo e no Lar Irmã Terezinha, em Pindamonhangaba.

Na semana passada, os Jogos ocorreram nos lares Vicentino, de Lagoinha, e na Vila São Vicente de Paulo, em São Luiz do Paraitinga. Nos dois locais, o evento foi aplicado pelos professores Breno Ribeiro Antunes e Rita de Cássia dos Santos.

 

 

Projeto de alegroterapia beneficia idosos de Taubaté e Lagoinha

O projeto de Alegroterapia e Animação com Jogos tem o objetivo de melhorar o humor dos idosos, por meio de entretenimento com jogos. Iniciado em abril de 2021, o projeto desenvolvido pela enfermeira Bethânia Regina Rocha, da Fundação José Carlos da Rocha, já beneficiou dezenas de idosos.

As principais atividades são as dinâmicas de jogos, sobretudo os de conhecimento popular, para facilitar a assimilação dos idosos. Atualmente, as atividades são desenvolvidas na Casa do Ancião Luiza de Marillac, em Taubaté, e no Lar Vicentino, em Lagoinha.

Aplicadas de forma descontraída e animada, as dinâmicas de jogos com idosos criam e fortalecem a convivência, sustentam relacionamentos interpessoais, estimulam a comunicação e a interação social, além de aumentar a capacidade mental e de concentração.

De acordo com Bethânia, todas as atividades são pensadas previamente para maior interação e adaptação dos indivíduos. “Antes de colocar em atividade os jogos eu sempre converso individualmente com cada um, com intuito de identificar as dificuldades e, dessa forma, proporcionar uma ação mais leve e sadia. Além disso, atualmente estamos desenvolvendo ações com o auxílio de uma equipe de fisioterapia, para que dessa forma a coordenação motora seja trabalhada também”, explica Bethânia.

Dentre os jogos mais utilizados estão o da memória, dominó, quebra cabeça, bingo, dia de leitura, cinema, caça-palavras, palavra cruzada, peteca dentre outros. As dinâmicas desenvolvidas em grupo estimulam a interação social e comunicação interpessoal, além de precaver doenças crônicas, como a depressão. “Os idosos sempre comentam que os jogos ocupam o tempo de forma feliz e isso é motivo de alegria, tendo em vista que eles passam muitos momentos de ociosidade”, finaliza Bethânia.

Idosos de lares atendidos pela Fundação José Carlos da Rocha recebem 3º dose de vacina contra Covid-19

Os Idosos residentes nos lares atendidos diretamente pela Fundação José Carlos da Rocha estão aptos para receber a dose de vacina de reforço contra Covid-19 no mês de setembro de 2021.

Assim como ocorreu com a primeira e segunda dose, a terceira dose será levada por profissionais das prefeituras até os lares, para que os idosos não tenham que se deslocar até os lares.

Em Pindamonhangaba, por exemplo, a aplicação vai ocorrer no dia 13 no Lar Irmã Terezinha e no dia 14 no São Vicente de Paulo.

Embora a aplicação seja responsabilidade do município, os professores da Fundação José Carlos da Rocha têm atuação fundamental no processo, pois conversam com centenas de idosos para explicar a importância da vacinação para garantir a proteção contra o vírus.

Segundo os professores, vários idosos demonstraram receio e preocupações sobre a vacina. Na ocasião da primeira e segunda dose, por exemplo, a professora Nadia Melo relatou como conscientizou os idosos. “Nós explicamos para eles que os laboratórios responsáveis pelo produto são referências mundiais e que eles não deveriam dar ouvidos aos boatos criados por grupos que não acreditam na força do vírus ou na eficiência da vacina”.

Ela disse que as conversas para orientar os idosos aconteceram vários dias antes da aplicação das doses. “Assim que tivemos conhecimento de que as pessoas que viviam em lares deveriam ser imunizadas no primeiro grupo, já iniciamos nosso trabalho. Sentamos com os idosos, de um por um ou em grupo, deixando claro a importância do ato, para garantir a saúde deles e dos demais”, completou.

Idosos participam de atividades em celebração ao mês do folclore

Residentes de quatro lares atendidos diretamente pela Fundação José Carlos da Rocha participaram, ao longo do mês de agosto, de atividades em comemoração ao Dia do Folclore.

No dia 24 de agosto as professoras Rita de Cássia dos Santos e Letícia Godinho realizaram uma tarde de brincadeiras folclóricas no Lar São Vicente de Paulo, em Pindamonhangaba. Já no dia 31 de agosto, as atividades aconteceram no Lar Irmã Terezinha, na mesma cidade. As educadoras abordaram temas como lendas, comidas típicas, charadas, parlendas, trava língua, brincadeiras e cantigas de roda.

Nos lares Vicentino de Lagoinha e Vila São Vicente de Paulo (São Luiz do Paraitinga), Rita conjuntamente com o professor Breno Antunes desenvolveram iniciativas relacionadas à data comemorativa. Houve oficina de brinquedos, barangandão, pião, bola de gude, peteca, bilboquê de garrafa pet e também dança sentada.

De acordo com Rita, as atividades do folclore são enriquecedoras e desenvolvidas com muita alegria pelos idosos. “Já vivencio com os idosos há alguns anos e percebo o quanto ficam motivados, contando suas próprias histórias e aventuras de infância. O objetivo é promover ações que englobam lazer e cultura. Com atividades compatíveis com os idosos podemos interagir, socializar, valorizar sua história e o resgate cultural”, pontua a professora.

Comemorado no dia 22 de agosto, o Dia do Folclore foi criado com o objetivo de garantir a preservação do acervo que forma o folclore brasileiro. Além disso, busca incentivar os estudos na área. O folclore brasileiro é um importante objeto de estudo nas ciências humanas, e sua relevância é reforçada frequentemente nas ILPI´s (Instituições de Longa Permanência para Idosos) e escolas que trabalham com ensino infantil.

Tarde de jogos diverte idosos do ‘São Vicente de Paulo’

Os trabalhos realizados pelos professores Letícia Godinho e Breno Antunes Ribeiro, da Fundação José Carlos da Rocha, proporcionaram uma tarde de diversão com jogos aos residentes do Lar São Vicente de Paulo, em Pindamonhangaba.

As atividades reuniram cerca de 50 idosos, que participaram de jogos como dominó, quebra-cabeça, dama, cartas, jogo da memória com figuras e palavras, dentre outros.

Letícia explicou que parte das ações visava trabalhar a memória, a paciência e estimular o cérebro, com ações ligadas ao raciocínio e à lógica.

Ela ressaltou que outras brincadeiras, como ‘não deixe o ovo cair’ e ‘puxa batatinha’ proporcionaram melhorias físicas, como coordenação motora e flexibilidade dos movimentos.

“Mais importante que ganhar ou perder, foi a disposição de todos em participar e entender o espírito das brincadeiras, com objetivo em aproximar as pessoas, gerar mais empatia entre os residentes – que se divertiram o tempo todo”, explicou Letícia.

Além dela e de Breno, a tarde de jogos teve a presença de colaboradores do próprio lar, como a psicóloga Nayara Santos e a educadora física Flávia do Amaral, além de fotos produzidas por Hannah Magnussen.

Dia dos avós e dia dos pais são comemorados com bingo em lares de Taubaté, Caçapava e Guaratinguetá

A concentração na espera para a próxima pedra que vai sair do globo. A expectativa se aquele número vai completar a quina para a conquista da aguardada prenda, e… Bingo!

A brincadeira que fez parte da infância e juventude da maioria dos idosos residentes na Casa do Ancião Luiza de Marillac, em Taubaté, e no Lar São Vicente de Paulo, em Caçapava, foi a atividade que levou alegria a eles em comemoração ao dia dos avós, celebrado dia 26 de julho.

Da mesma forma, houve celebração ao dia dos pais, na primeira semana de agosto, na Comunidade Missionária São José, de Guaratinguetá.

Entre as prendas estavam canecas, chocolates, produtos de higiene e beleza, que completavam a alegria dos vovôs e vovós, já satisfeitos pela diversão e distração proporcionadas pelo jogo de bingo.

“O bingo e uma brincadeira que ajuda na concentração, paciência, empatia com as amigas e muita diversão. Além disso, trabalha também a memória, pois tem que escutar e procurar o número”, afirmou a arte educadora da Fundação José Carlos da Rocha, Letícia Godinho.

O educador Breno Antunes Ribeiro, que também é da Fundação José Carlos da Rocha confirmou a aprovação dos idosos à atividade escolhida para celebrar o dia dos avós. “Foi bem divertido e lúdico. É uma atividade que os idosos gostam muito”, avaliou.

 

Dança coreografada estimula memória, concentração e fortalecimento muscular de idosos no ‘São Vicente de Paulo’

Os idosos do Lar São Vicente de Paulo, em Pindamonhangaba, têm praticado atividades de dança coreografada para estimular a memória e a concentração. As aulas são desenvolvidas pela professora Nadialice Melo, da Fundação José Carlos da Rocha.
Segundo ela, nos meses de junho e julho, estes exercícios foram aplicados com maior frequência e os resultados foram positivos, tanto sob aspecto técnico quanto pela aceitação dos idosos.
Nadialice explicou que a dança coreografada auxilia no estímulo da memória e concentração, pois “faz com que os idosos realizem os movimentos e criem uma programação”. Desta forma, “eles fazem os movimentos coreografados, obedecendo a uma sequência, que é associada a um ritmo e a um som”, completou.
Ela ressaltou que a prática gera benefícios na concentração dos indivíduos – fazendo com que eles trabalhem a memória, a percepção, a atenção, equilíbrio, reabilitação dos movimentos, amplitude articular e fortalecimento muscular.