Idosos de Caçapava participam de programa que avalia níveis de gordura e músculos

Idosos de Caçapava participam de programa que avalia níveis de gordura e músculos

Um grupo de idosos de Caçapava está participando de um projeto para avaliação do nível de gordura e de músculos, para verificação do estado físico e a partir desses indicadores o profissional de educação física saber exatamente quais exercícios são adequados à coletividade e aos indivíduos.

A iniciativa é do professor Breno Ribeiro Antunes, da Fundação José Carlos da Rocha, que iniciou o trabalho no Lar de Idosos Vicente de Paulo. Lá, no momento 10 idosos participam do programa e outros devem ser inclusos nas próximas semanas. O número de envolvidos está relacionado aos que possuem condições de serem avaliados dessa forma, conforme a capacidade de locomoção de cada um.

O trabalho completo incluiu a utilização de uma balança de bioimpedância, que calcula níveis de gordura e de desenvolvimento muscular, além da taxa metabólica basal – indicador que aponta a quantidade de calorias que seu corpo utilizar para manter funções vitais básicas, como respirar, bater o coração, pensar, dentre outros.

A avaliação ainda inclui anotações e coletas perimétricas, com tamanho da circunferência abdominal, braços, antebraço, coxa e peito. Com base no cruzamento de dados apresentados na balança com as medições corporais, o educador Breno Ribeiro Antunes estabelece padrões de exercícios para fortalecimento muscular, ganho ou perda de peso, melhorias da qualidade de vida, dentre outros benefícios aos idosos.

Segundo ele, a avaliação será realizada a cada três meses, apontando caminhos para qual a melhor forma de aplicar exercícios e quais as atividades são indicadas. “Depois de 90 dias, eles serão reavaliados em cada etapa do processo. Isso vai permitir aprimorar a aplicação das atividades, mostrando onde devemos aumentar ou reduzir a intensidade e a forma. Com isso, saberemos os parâmetros ideais e mais eficientes para o desenvolvimento de massa muscular e ganho em qualidade de vida para o idoso”.

Ele explicou que alguns resultados indicam claramente onde o idoso deve evoluir com exercícios. “Havendo redução de medidas ou aumento, e analisando esses números com base do apresentado pela balança e a capacidade física de cada um, poderemos dosar as atividades com precisão”, completou.

Sobre a parte de exercícios realizados no lar, eles incluem fortalecimento, alongamentos, melhorias na coordenação motora e meditação. “Além disso, aplicamos alguns exercícios que estimulam a parte mental, principalmente de alongamento e relaxamento muscular, com auxilio de músicas e comandos de voz, com os idosos de olhos fechados. Isso ajuda muito o idoso, pois muitos tender a ter problemas com depressão ou sentem solidão, enfrentam os efeitos da velhice, dentre outras questões que envolvem a vida do idoso, especialmente os que vivem em lares de longa permanência”, ressaltou Breno Ribeiro Antunes.

O educador físico frisou que alguns dos trabalhos são desenvolvidos em parceira com uma psicóloga, fornecendo amparo técnico ao serviço.

Deixe uma resposta