Campanha arrecada fraldas para idosos de lares do Vale do Paraíba

Campanha arrecada fraldas para idosos de lares do Vale do Paraíba

A Fundação José Carlos da Rocha, instituição que mantém apoio financeiro, estrutural, doações de produtos e oferece atividades para lares de idosos, lançou sua nova Campanha de Fraldas.
Intitulada “R$ 1,00 = uma fralda”, a iniciativa visa arrecadar fraldas geriátricas ou recursos para aquisição do material, que será encaminhado para idosos de 12 lares da região atendidos pela instituição e para pessoas em vulnerabilidade social.

O objetivo da campanha é manter e, se possível ampliar, a quantidade de fraldas compradas por mês, para evitar danos à higiene e saúde dos idosos que precisam do produto. “Antes da pandemia e, consequentemente, da crise econômica desencadeada, comprávamos cerca de R$ 8 mil por mês em fraldas e destinávamos para os lares e pessoas necessitadas. Esse valor provinha tanto dos recursos próprios quanto de doações que recebíamos, mas agora esse volume vem caindo muito, cerca de 50%, porque não temos os mesmos recursos e as doações diminuíram”, explicou a coordenadora da Fundação José Carlos da Rocha, Renata Linhares.

Quem puder colaborar, pode fazer doação física de fralda e outros itens de higiene no prédio da sede da Fundação, o Smart Office, rua Dr. Gregório Costa, 233, Centro de Pindamonhangaba, onde existe uma caixa na recepção, ou fazer doações em dinheiro, para a conta do banco Itaú, agência 8206, conta corrente 11098-6, CNPJ 59.398.040/0001-86 – em nome de Fundação José Carlos da Rocha.

Ainda sobre a campanha, Renata Linhares disse que cada idoso que precisa de fralda, utiliza cerca de três por dia – totalizando 210 por mês. “É um cálculo médio que possuímos de acordo com informações que recebemos dos lares e esse volume varia dependendo das condições de cada idoso”.
Além da arrecadação de fraldas, o objetivo da campanha é fazer com que os idosos não sofram ainda mais neste período de ausência de contato com o mundo externo. “Trabalhamos para manter o possível de condições adequadas para saúde e bem-estar. Antes da pandemia, mantínhamos professores e terapeutas desenvolvendo atividades constantes com os idosos, com dança, música, exercícios físicos, canto, musculação, ações lúdicas e passeios. Em virtude do risco de contaminação por covid19 e atendendo as regulamentações dos órgãos sanitários, suspendemos essas ações. Paralelo a isso, os lares também estão fechados para visitas. Ou seja, os idosos estão isolados – isso é o correto no momento – porém isso gera ainda menos recursos, doações e outras ações que minimizavam os efeitos do envelhecimento. Se conseguirmos entregar fraldas e outros itens de higiene em volume razoável aos lares, vamos melhorar a qualidade de vida de centenas de idosos”, completou Renata.

Deixe uma resposta