Idosos recebem novo lote de vacina contra gripe

Idosos recebem novo lote de vacina contra gripe

O Ministério da Saúde entregou aos municípios o segundo lote de vacinas contra gripe Influenza nos dias 24 e 25 de março. A data de vacinação varia de acordo com a organização de cada secretaria de saúde. Antecipada este ano como estratégia para diminuir a quantidade de pessoas com gripe nesse inverno, a Campanha Nacional de Vacinação iniciou dia 23 de março e, na maior parte das cidades brasileiras, acabou no mesmo dia.

Isso porque o Governo Federal só liberou 1/3 do volume programado para a primeira fase – a que prioriza os idosos e profissionais de saúde. No segundo lote, novamente o Ministério da Saúde só disponibilizou 33 porcento do volume total para a etapa.

A justificativa é a ausência de estoque no momento e a dificuldade de entrega, pois, devido à antecipação, nem todas as vacinas estão produzidas. Com isso a entrega está fracionada este ano.

Segundo o Ministério, não é para haver pânico na população, especialmente a idosa. Segundo o órgão, as vacinas serão entregues normalmente – só que em lotes menores. Deste modo, não é necessário ‘correr’ para os postos. O ideal é buscar em dias com menor movimento.

De acordo com o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, mesmo que a vacina não apresente eficácia contra o coronavírus, é uma forma de auxiliar os profissionais de saúde a descartarem as influenzas na triagem e acelerarem o diagnóstico para o coronavírus. “A campanha acontece em âmbito nacional, como as anteriores. Começamos por idosos e profissionais de saúde. Depois, gestantes, crianças até seis anos, puérperas. Incluiremos outras categorias também. Dessa forma, espera-se que o vírus tenha menor propagação”, explicou.

Para a campanha, o Instituto Butantan está produzindo 75 milhões de doses que previne contra os três tipos de vírus de influenza que mais circularam no ano anterior. O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, lembrou a importância de ampliar a cobertura vacinal e destacou que a vacina é uma das medidas mais importantes para a prevenção de doenças. “As influenzas A e B são mais comuns que o coronavírus e a Campanha Nacional de Vacinação contra a gripe diminui a situação endêmica dos vírus respiratórios no país, por isso é tão importante que as pessoas que fazem parte do público-alvo da campanha procurem uma unidade de saúde”, concluiu.

Deixe uma resposta